Polícia

Justiça decreta prisão preventiva de acusado por duplo feminicídio na fronteira

Jorcy Marques Ortiz é considerado um homem perigoso e ameaçador e contra ele já tinham sido registrados diversos boletins de ocorrências

Marcos Morandi Publicado em 12/06/2021, às 10h35

Familiares das vítimas, durante protesto na fronteira
Familiares das vítimas, durante protesto na fronteira - Reprodução/Redes sociais

Após representação do delegado Patrick Linares da Costa, responsável pelo caso, a Justiça Estadual determinou a prisão preventiva de Jorcy Marques Ortiz de 52 anos, do acusado da prática do duplo feminicídio ocorrido em Antônio João no dia 4 deste mês. A medida foi autorizada nesta sexta-feira (11).

Para não pagar uma dívida e por motivos passionais, segundo o delegado, ele assassinou Rosenilda Rodrigues Maciel de 54 anos e a filha dela, Andréia Rodrigues Maciel de 24 anos. Para fundamentar a denúncia, Linares utilizou trechos de mensagens encaminhas pelo ausado contra as duas vítimas.

A ordem judicial foi decretada por prazo indeterminado, para garantir a eficácia do procedimento criminal e evitar que a liberdade do investigado coloque testemunhas dos fatos em risco. Nos autos do processo o delegado Linares considerou que o suspeito, após o crime, teria fugido para evitar sua prisão em flagrante, só se apresentando dias depois, imaginando que por ter passado o período de flagrante, responderia ao crime em liberdade.

Segundo o delegado, apesar da prisão do indivíduo já indiciado pelos feminicídios, as investigações continuam visando a identificação e responsabilização de pessoas que possam ter colaborado com a fuga de Jorcy ou que deram abrigo a ele nos dias que ficou foragido antes de se apresentar para a Polícia Civil de Antônio João.

Com uma longa ficha policial Jorcy é considerado um homem perigoso e ameaçador e contra ele já tinham sido registrados diversos boletins de ocorrências, entre eles, a rendição de um motorista de um ônibus escolar que transportava 15 crianças.

Jornal Midiamax