Polícia

Irmão flagra amigo da família estuprando menina de 8 anos e pai diz que era ‘brincadeira’

Pai da menina defendeu o amigo, mas a mãe da criança o denunciou na delegacia

Thatiana Melo Publicado em 13/09/2021, às 11h49

None
(Ilustrativa)

Mesmo após ficar sabendo que seu amigo de 46 anos havia estuprado a sua filha de 8 anos, em uma cidade de Mato Grosso do Sul, o pai da criança ainda teria dito que tudo não passava de uma brincadeira do autor, que acabou condenado, mas recorreu da sentença, que ainda deverá ser julgada.

A menina estava na casa da avó junto de seu irmão, quando no dia 16 de março de 2011, acabou sendo estuprada pelo amigo do pai, que tinha livre acesso à residência onde estava a criança. Consta nos autos, que a criança havia ficado em casa na companhia da avó, quando o autor chegou.

Ele encostou a criança contra uma parede e a estuprou, passou as mãos em seus órgãos genitais. Quando cometia o abuso, o irmão da menina acabou flagrando o ato e pediu para que o homem parasse. A avó da menina tomou conhecimento do que havia ocorrido e contou ao pai da neta.

Mas, o homem defendeu o amigo e disse que ele deveria estar só brincando com a filha. Entretanto, a mãe, ao saber do crime, foi até a Delegacia de Atendimento à Mulher e registrou a ocorrência.

O autor acabou preso e condenado a oito anos de reclusão, regime semiaberto, com direito de recorrer em liberdade. A defesa do autor entrou com recurso pedindo a desclassificação para importunação sexual, com redução da pena para um ano de reclusão, com substituição da pena privativa de liberdade, por uma restritiva de direitos. O recurso anda será julgado.

Jornal Midiamax