Investigado por dois homicídios não paga fiança de R$ 16,5 mil e tem prisão mantida

Preso em flagrante na última sexta-feira (19), durante cumprimento de prisão temporária, homem de 30 anos vai continuar detido preventivamente. Ele é investigado por pelo menos dois homicídios em Campo Grande e foi encontrado na residência de familiares, no Taquarussu. A decisão é do juiz Luiz Felipe Medeiros Vieira, durante audiência de custódia. Conforme o […]
| 22/03/2021
- 19:09
Juiz vai decidir sobre uso de algemas em audiência de custódia
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)

Preso em flagrante na última sexta-feira (19), durante cumprimento de temporária, homem de 30 anos vai continuar detido preventivamente. Ele é investigado por pelo menos dois homicídios em Campo Grande e foi encontrado na residência de familiares, no Taquarussu.

A decisão é do Luiz Felipe Medeiros Vieira, durante audiência de custódia. Conforme o termo da audiência, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) requereu conversão do flagrante em preventiva. Já a defesa manifestou pela liberdade provisória, até porque o acusado tem prisão temporária.

Após a prisão em flagrante, o delegado responsável determinou fiança de R$ 16,5 mil para liberar o acusado, mas o valor não foi recolhido. No caso, para o magistrado, pelas condições do delito, natureza do crime e maus antecedentes, bem como ausência de comprovação de trabalho lícito e residência fixa, não é recomendada medida cautelar mais branda.

Com prova de materialidade e indícios da autoria do crime, para garantia da ordem pública e também pelo perigo gerado pelo estado de liberdade, foi convertido o flagrante em prisão preventiva. Detido, o acusado deve ser ouvido sobre os casos pelos quais é investigado nesta semana.

Prisão

Conforme apurado pelo Midiamax, havia mandado de prisão em aberto contra o suspeito, que foi localizado em uma casa na Vila Taquarussu. Equipe da Polícia Civil foi ao local e encontrou o primo do suspeito saindo da residência. Abordado, ele disse não saber que o familiar estava foragido.

Além disso, o investigado tinha pedido para passar o dia na casa dos parentes. O morador então permitiu a entrada dos policiais na casa e o suspeito foi localizado. Ele escondia um revólver Taurus calibre 38 no local e, além do cumprimento do mandado, também foi preso em flagrante pela posse irregular da arma de fogo.

A princípio, o homem é suspeito de envolvimento em pelo menos dois crimes de homicídio, investigados por duas delegacias de Campo Grande. Em interrogatório, ele revelou que sabia do mandado de prisão em aberto e que comprou a arma de fogo por R$ 2,8 mil para se proteger, já que recebia ameaças de familiares de um adolescente que matou quando ainda era menor de idade, em Corumbá.

O acusado ainda revelou que sofreu acidente de moto em janeiro, fraturou a perna na altura do joelho e não procurou posto de saúde para não ser preso. No entanto, conseguiu fazer exame em uma clínica particular usando nome falso.

Veja também

Uma das mulheres seria esposa do bombeiro que conseguiu deter um dos bandidos

Últimas notícias