Polícia

Idoso cuidava de galinhas no quintal quando foi atingido por bala perdida no Panorama

Família disse que conversava alto e não escutou som de disparos

Renan Nucci e Danielle Errobidarte Publicado em 24/10/2021, às 10h27

Local onde o idoso foi atingido pelo disparo
Local onde o idoso foi atingido pelo disparo - Danielle Errobidarte

Familiares de Sérgio Bianco, de 72 anos, morto após ser atingido por uma bala perdida na tarde de sábado (23), no Jardim Panorama, em Campo Grande, disseram que ele estava na cidade para visitar a irmã, após perder dois outros irmãos recentemente. O objetivo dele era fortalecer os vínculos e ajudar na passagem por este período de luto.

Na manhã deste domingo (24), os sobrinhos José Roberto Orenha, de 57 anos, e Silmara Santiago Orenha, de 50 anos, conversaram com o jornal Midiamax e deram mais detalhes sobre as circunstâncias dos fatos, no entanto, não fazem ideia de como o tio possa ter sido baleado. Nem mesmo ele, enquanto ainda estava consciente, soube explicar.

Roberto e Silmara pontuaram que o tio veio do interior de São Paulo há cerca de uma semana, acompanhado dos dois filhos, duas noras e dois netos, para passar uns dias com a irmã. No momento do ocorrido, a família, num total de 13 pessoas, estava na residência terminando de almoçar e Sérgio estava no quintal cuidando de galinhas. 

Os sobrinhos explicaram que todos estavam conversando alto, como é de costume, e não ouviram nada. Além disso, as galinhas também cantavam no terreiro, dificultando ainda mais a percepção. Eles só se deram conta quando o idoso chegou baleado no abdômen, pedindo socorro. A informação era de que ele não sangrava muito e estava consciente e orientado.

O próprio Sérgio disse que estava próximo ao portão, quando apenas sentiu uma fisgada abaixo da costela e constatou os ferimentos. Os familiares o transportaram para a Santa Casa, onde ele foi submetido a uma cirurgia. No entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu já na madrugada deste domingo, conforme boletim de ocorrência.

Silmara disse que recentemente tem ocorrido vários casos de roubos e furtos no bairro, mas que são raros casos de agressão por tiros ou facadas, por exemplo. Neste sentido, não conseguem entender as circunstâncias nas quais o tio foi baleado, nem mesmo exatamente onde ele estava onde ele estava quando foi atingido, já que andava pelo quintal.

A Polícia Civil registrou o caso inicialmente como lesão corporal dolosa, mas em razão do óbito, acrescentou à ocorrência o fato de “morte a esclarecer”. O caso é investigado.

Jornal Midiamax