Polícia

Homem que mutilou cão para acabar com latidos é multado em R$ 2 mil

A PMA (Polícia Militar Ambiental) multou em R$ 2 mil o homem que, no sábado passado, mutilou um cão com um facão para fazer com que parasse de latir. Os fatos ocorreram em uma residência na zona rural de Chapadão do Sul, a 330 quilômetros de Campo Grande. Na quarta-feira (20), a Polícia Civil este […]

Renan Nucci Publicado em 21/01/2021, às 14h44

Focinho do cachorro ficou mutilado. Foto: Divulgação
Focinho do cachorro ficou mutilado. Foto: Divulgação - Focinho do cachorro ficou mutilado. Foto: Divulgação

A PMA (Polícia Militar Ambiental) multou em R$ 2 mil o homem que, no sábado passado, mutilou um cão com um facão para fazer com que parasse de latir. Os fatos ocorreram em uma residência na zona rural de Chapadão do Sul, a 330 quilômetros de Campo Grande. Na quarta-feira (20), a Polícia Civil este no local e resgatou o animal.

O homem não foi preso porque já havia passado o tempo necessário para garantir prisão em flagrante. Após tomar conhecimento dos fatos, a PMA, unidade vizinha de Costa Rica, foi ao local e aplicou a multa administrativa. O autor responde pelo crime de maus-tratos, com pena que varia de dois a cinco anos de reclusão.

Conforme já noticiado, após denúncia, investigadores do SIG (Setor de Investigações Gerais) foram até uma propriedade rural que fica a cerca de 40 quilômetros da cidade, a fim de averiguar o ocorrido. Lá, se depararam com o cão com cortes profundos, principalmente no focinho.

O animal estava amarrado sob uma árvore com os ferimentos ainda abertos. Identificado, o responsável disse que na noite de sábado se embriagou e agrediu o animal com golpes de facão por conta dos latidos. Segundo testemunhas, os ataques só pararam por intervenção do irmão do agressor.

O homem só não foi preso pois já havia passado o lapso temporal que permitiria a caracterização do flagrante. “Mesmo assim foi qualificado e irá ser indiciado pelo crime qualificado de maus-tratos contra animais, art. 32 da lei 9.605, o qual tem pena de até 5 anos de prisão. O animal, extremamente dócil, foi resgatado pelos investigadores e transportado na viatura policial até a cidade onde foi internado em clínica veterinária”, disse o delegado Felipe Potter.

Jornal Midiamax