Polícia

Helicóptero que levava 200 kg de cocaína tinha restrições da Anac e não poderia voar

Aeronave vai ficar apreendida e não voará para Campo Grande

Renata Portela Publicado em 03/06/2021, às 15h48

Aeronave foi apreendida e quatro pessoas foram presas
Aeronave foi apreendida e quatro pessoas foram presas - (Divulgação, PMMS)

A aeronave prefixo PP-LLL, apreendida na manhã desta quinta-feira (3) por policiais militares de Batayporã, cidade a 306 quilômetros de Campo Grande, deve ser periciada no município. Inicialmente, um piloto da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) iria voar com o helicóptero para a apreensão, mas por restrições ele não poderá levantar voo.

O helicóptero está com o CVA (Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade) suspenso, por estar vencido, uma vez que a aeronave não passou pelas revisões necessárias. Por regra da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o helicóptero não pode levantar voo. A aeronave foi guinchada e ficará sob custódia do 8º Batalhão, responsável pela apreensão, para ser periciada.

De acordo com a PM, equipe da Força Tática do 8º BPM interceptou o helicóptero enquanto ele pousava em uma fazenda, na região entre os rios Bahia e Paraná, em uma área várzea conhecida como “100 Alqueires dos Paraguaios”. Ali, a aeronave realizaria o reabastecimento de combustível.

Um homem com uma Toyota Hilux prata, se aproximou para efetuar a ação, momento em que foi surpreendido e detido juntamente com os outros autores. Foram quatro presos, todos brasileiros. Dentro do helicóptero foram encontrados os 200 quilos de cocaína, droga avaliada em mais de R$ 3 milhões. O entorpecente foi adquirido na fronteira e tinha como destino o Estado de São Paulo.

Esta é a segunda vez que a equipe da Força Tática faz apreensão de uma aeronave carregada com cocaína na região do Vale do Ivinhema. Um avião com mais de meia tonelada de cocaína foi apreendido em agosto de 2020, na região de Ivinhema. A operação contou com apoio de 15 policiais militares e mais 5 viaturas do 8° Batalhão de Nova Andradina.

Jornal Midiamax