Polícia

Grupo alega que incêndio em casa de reza foi motivado por intolerância religiosa

APIB pediu investigações por parte da Polícia Federal e MPF

Gabriel Neves Publicado em 30/12/2021, às 18h24

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Foto: Reprodução)

A APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) publicou uma nota informando que pedirá à Polícia Federal e ao MPF (ministério Público Federal) investigações sobre o incêndio ocorrido na madrugada desta quinta-feira (30) na oga pysy — uma casa de reza —, localizada no município de Douradina.

Segundo a nota, a organização considera o incêndio criminoso e alega que a religião Guarani-Kaiowá está sofrendo ameaça frequente de intolerância religiosa, o que teria resultado no incêndio do local considerado patrimônio coletivo da religião.

No momento do incêndio, haviam pessoas, incluindo crianças e idosas, dormindo no local, mas todas conseguiram escapar sem ferimentos graves. A APIB alega que este é a quinta oga pysy incendiada apenas em 2021.

“Mais uma vez reforçamos a solicitação de investigação séria para punir os mandantes e autores dos crimes cometidos contra o patrimônio coletivo do Kaiowá”, comunicou.

Jornal Midiamax