Polícia

Golpe: Restaurantes falsos clonavam cartões em aplicativo e não entregavam comida em MS

Lucro da quadrilha chegava a ser de até R$ 50 mil em seis meses, diz polícia

Thatiana Melo Publicado em 07/06/2021, às 10h27

None
(Divulgação)

O membro de uma organização criminosa acabou preso, na manhã desta segunda-feira (7), em Campo Grande no Jardim Novos Estados por ser o ‘cabeça’ da quadrilha, que clonava cartões e criava restaurantes fictícios em aplicativo de entregas. O autor foi preso em uma operação da Polícia Civil com apoio do GOI (Grupo de Operações e Investigações).

Informações passadas para o Jornal Midiamax são de que a organização criminosa já operava há pelo menos 1 ano sendo que por semestre a quadrilha chegava a lucrar cerca de R$ 50 mil que era dividido entre os ‘laranjas’. A investigação começou em Jardim.

Anízio Fernandes Menezes Filho, que era o mandante da quadrilha foi preso em uma residência e lá os policiais que tiveram apoio do GOI (Grupo de Operações e Investigações) apreenderam celulares e eletrônicos. Os outros membros da quadrilha ainda são procurados.

Os membros clonavam os cartões de crédito e em seguida a organização criava restaurantes fictícios e faziam compras através do aplicativo Ifood. Todo dinheiro arrecadado com as fraudes era dividido entre os ‘laranjas’.

Anízio foi encaminhado para a penitenciária de Campo Grande. O número de restaurantes fictícios criados não foi divulgado, e nem a quantidade de cartões clonados.

Jornal Midiamax