Polícia

Fazendeiro é multado em R$ 301 mil por desmatamento de Mata Atlântica em MS

Durante trabalho de combate e prevenção à exploração ilegal da flora

Diego Alves Publicado em 19/11/2021, às 20h06

Mata Atlântica destruída (Divulgação, PMA)
Mata Atlântica destruída (Divulgação, PMA)

Um fazendeiro foi multado em em R$ 301 mil por desmatamento de Mata Atlântica em Porto Murtinho, cidade a 439 quilômetros de Campo Grande, nesta sexta-feira (19). A PMA (Polícia Militar Ambiental) utilizou imagem de satélite e autuou o fazendeiro em R$ 301 mil por danificar e incendiar vegetação de Mata Atlântica em sua propriedade, na zona rural da cidade.

Durante vistoria, foi realizada durante trabalho de combate e prevenção à exploração ilegal da flora. Policiais ambientais verificaram na propriedade rural, localizada a 150 km da zona urbana da cidade, uma área de vegetação nativa incendiada, em um total de 43 hectares destruídos, medidas estatas conferidas com GPS, dentro do bioma protegido de Mata Atlântica.

O proprietário rural de 63 anos, residente em Idema (PR), suprimiu a vegetação e realizou a queima do material lenhoso, ambos proibidos e ainda sem a licença ambiental, de acordo com a polícia. Parte da madeira da sobra do incêndio estava sendo explorada como tábuas e outra ainda estava queimada em leiras na área. Ele foi autuado administrativamente e recebeu multa de R$ 301 mil.

Com 6,3 milhões de hectares de seu território localizados dentro do bioma, Mato Grosso do Sul abriga a maior área contínua preservada de Mata Atlântica no interior do Brasil, de acordo com o Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

O autuado também responderá por crime ambiental. Além disso, ele foi notificado a apresentar um PRADA (Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada), junto ao órgão ambiental estadual.

Jornal Midiamax