Polícia

Ex-esposa de assassino de comerciante recebeu ligação após o crime e destruiu chip

Ela prestou depoimento, disse não saber onde ex-marido pode estar escondido e que se abrigou na casa de parentes.

Danielle Errobidarte Publicado em 07/01/2021, às 15h35 - Atualizado às 15h54

Vítima foi assassinada em frente a conveniência. (Foto: Danielle Errobidarte)
Vítima foi assassinada em frente a conveniência. (Foto: Danielle Errobidarte) - Vítima foi assassinada em frente a conveniência. (Foto: Danielle Errobidarte)

A ex-esposa do suspeito de assassinar o dono de uma conveniência Hugo Gonçalves Insabralde, de 29 anos, no Bairro Danúbio Azul, prestou depoimento à polícia nesta quinta-feira (7). Ela contou que o suspeito telefonou após o crime, pediu para que ela deixasse sua residência e destruiu o chip do celular.

Durante depoimento, a mulher explicou que os dois tem um bebê e que, depois de saber do assassinato em conversa com o próprio ex-marido, se escondeu na casa de parentes e não teve mais contato com o rapaz.

Segundo o delegado Ricardo Meirelles, da 3ª Delegacia de Polícia da Capital, responsável pelas investigações, a mulher explicou que, nas mensagens trocadas com Hugo, ela afirmou que iria conversar com o funcionário.

“Ela disse não estar mais com o aparelho celular e ter destruído o chip. Sobre as mensagens, disse que Hugo falou que iria conversar com o funcionário, mas que achou que seria um diálogo amigável”, diz o delegado.

Ainda conforme o delegado, a mulher afirmou não saber onde o ex-marido está, uma vez que ele continua procurado pela polícia. É preciso, contudo, verificar a autenticidade dessas possíveis mensagens e de quem ela partiu, e se pode ter refletido na motivação do crime, segundo Meirelles.

Ex-esposa de assassino de comerciante recebeu ligação após o crime e destruiu chip
O crime foi filmado pelas câmeras de segurança (Reprodução)

Sobre o vídeo divulgado, o delegado afirma que o material já foi obtido pela polícia e será analisado para verificar a autoria. “Ele e qualquer pessoa que tenha dado auxílio podem responder pelo vídeo, mas ainda será checado se teve adulteração ou fere algum direito constitucional”, finaliza.

Divulgação do vídeo

Na tarde desta quarta-feira (6), suspeito de assassinar Hugo Gonçalves Insabralde, de 29 anos, na noite de segunda-feira (4) publicou vídeos nas redes sociais relatando o caso. O rapaz afirma que o comerciante e ele atuavam com agiotagem, que tinham muito dinheiro e que o crime aconteceu porque Hugo teria ‘dado em cima’ da mulher dele.

“Não matei nenhum pai de família não”, diz o rapaz no vídeo, alegando que ele e Hugo eram sócios em um negócio de “dinheiro a juro”, agiotagem. “A conveniência é só uma fachada”, alega. Ainda no vídeo ele afirma que não matou o comerciante e amigo por causa de dinheiro. “Nada disso que estão falando é verdade”, afirma.

Ainda no vídeo o rapaz então afirma que Hugo era como um irmão para ele “Mas traiu minha confiança”. Assim, ele conta que no dia do crime estava com o Facebook da esposa logado no celular quando recebeu a mensagem de Hugo. Mesmo assim, não disse nada e mais tarde foi com a mulher levar o filho para vacinar, quando ela mesma mostrou também a mensagem de Hugo para ele.

Ex-esposa de assassino de comerciante recebeu ligação após o crime e destruiu chip
Delegado Ricardo Meirelles (Henrique Arakaki, Midiamax)

O rapaz ainda foi até a conveniência com a esposa e disse que a levaria para casa e voltaria depois. Quando retornou, teve a discussão com Hugo. “Ele tem uma pistola, ele é agiota, não era comerciante não”, diz. Ainda segundo o autor do crime, os dois discutiram e Hugo teria questionado se ele tinha “alguma coisa para resolver”.

“Falei que não e ele foi em direção à BMW. Ele tem uma pistola que eu sei”. O rapaz então alega que agiu por imaginar que Hugo buscaria a arma. “Eu vou esperar o cara pegar a arma para me matar?”, diz. Ainda no discurso, o suspeito reafirma por várias vezes a prática de agiotagem na conveniência e diz para a polícia analisar as anotações nos cadernos do estabelecimento.

Por fim, ele afirma que vai se apresentar à polícia, com advogado. “Sei que o que eu fiz é errado, agi no nervosismo com a cabeça quente e não tem o que fazer”.

Jornal Midiamax