Polícia

Em vídeo, autor de homicídio no Danúbio Azul confessa crime e diz que vítima era agiota

Na tarde desta quarta-feira (6), suspeito de assassinar Hugo Gonçalves Insabralde, de 29 anos, na noite de segunda-feira (4) publicou vídeos nas redes sociais relatando o caso. O rapaz afirma que o comerciante e ele atuavam com agiotagem, que tinham muito dinheiro e que o crime aconteceu porque Hugo teria ‘dado em cima’ da mulher […]

Renata Portela Publicado em 06/01/2021, às 15h39 - Atualizado em 07/01/2021, às 11h08

O crime foi filmado pelas câmeras de segurança (Reprodução)
O crime foi filmado pelas câmeras de segurança (Reprodução) - O crime foi filmado pelas câmeras de segurança (Reprodução)

Na tarde desta quarta-feira (6), suspeito de assassinar Hugo Gonçalves Insabralde, de 29 anos, na noite de segunda-feira (4) publicou vídeos nas redes sociais relatando o caso. O rapaz afirma que o comerciante e ele atuavam com agiotagem, que tinham muito dinheiro e que o crime aconteceu porque Hugo teria ‘dado em cima’ da mulher dele.

“Não matei nenhum pai de família não”, diz o rapaz no vídeo, alegando que ele e Hugo eram sócios em um negócio de “dinheiro a juro”, agiotagem. “A conveniência é só uma fachada”, alega. Ainda no vídeo ele afirma que não matou o comerciante e amigo por causa de dinheiro. “Nada disso que estão falando é verdade”, afirma.

Ainda no vídeo o rapaz então afirma que Hugo era como um irmão para ele “Mas traiu minha confiança”. Assim, ele conta que no dia do crime estava com o Facebook da esposa logado no celular quando recebeu a mensagem de Hugo. Mesmo assim, não disse nada e mais tarde foi com a mulher levar o filho para vacinar, quando ela mesma mostrou também a mensagem de Hugo para ele.

O rapaz ainda foi até a conveniência com a esposa e disse que a levaria para casa e voltaria depois. Quando retornou, teve a discussão com Hugo. “Ele tem uma pistola, ele é agiota, não era comerciante não”, diz. Ainda segundo o autor do crime, os dois discutiram e Hugo teria questionado se ele tinha “alguma coisa para resolver”.

“Falei que não e ele foi em direção à BMW. Ele tem uma pistola que eu sei”. O rapaz então alega que agiu por imaginar que Hugo buscaria a arma. “Eu vou esperar o cara pegar a arma para me matar?”, diz. Ainda no discurso, o suspeito reafirma por várias vezes a prática de agiotagem na conveniência e diz para a polícia analisar as anotações nos cadernos do estabelecimento.

Por fim, ele afirma que vai se apresentar à polícia, com advogado. “Sei que o que eu fiz é errado, agi no nervosismo com a cabeça quente e não tem o que fazer”.

Confira o vídeo

Crime passional

Ainda nesta quarta-feira, o delegado responsável pelo caso Ricardo Meirelles, da 3ª Delegacia de Polícia Civil, relatou a linha de investigação de crime passional. Conforme a autoridade, o desentendimento entre os dois relacionado à uma mulher, que teria relacionamento com o autor. Se essa linha de investigação se confirmar, o crime pode ser classificado como hediondo porque teria sido praticado por motivo torpe.

Em vídeo, autor de homicídio no Danúbio Azul confessa crime e diz que vítima era agiota
Delegado Ricardo Meirelles (Henrique Arakaki, Midiamax)

Ainda de acordo com o responsável pela investigação, a namorada do autor também é procurada pela polícia já que existe a informação de que ela teria ajudado na fuga dele. “Não sabemos se a mulher teria sido coagida ou agido de livre espontânea vontade na fuga do autor”, disse Meirelles.

Vídeo do crime

Imagens de câmeras de segurança da conveniência mostram o momento em que Hugo foi assassinado com dois tiros na cabeça, uma perfuração de faca no pescoço e nas costas, na noite de segunda-feira, na Avenida Panamericana. O suspeito do crime, funcionário do local, fugiu em um Gol de cor branca depois do homicídio.

As imagens mostram quando o autor, que estava segurando um taco de sinuca em uma das mãos vai até a BMW quando Hugo abria a porta, sendo que neste momento ocorre mais uma discussão entre os homens, nisso, o autor saca um revólver da cintura e atira contra a vítima que cai no chão. Em seguida, o suspeito faz mais um disparo contra a cabeça do comerciante.

Após os tiros, o autor ainda golpeia várias vezes Hugo que fica no chão, com um taco de sinuca e depois com uma faca. O suspeito sai e entra na conveniência e minutos depois volta e continua com os golpes e agressões contra a vítima, que morreu em frente ao seu estabelecimento comercial.

O carro usado pelo autor foi localizado na manhã de terça-feira (5) e apreendido pela Polícia Civil.

Jornal Midiamax