Estuprador que atacou mulheres no Vida Nova se torna réu em dois processos

Além do estupro ele responde por tentativas e também roubos
| 04/11/2021
- 19:21
André foi preso em flagrante após os crimes
André foi preso em flagrante após os crimes - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Logo após a prisão e também conclusão do inquérito, André Luiz do Nascimento Santos se tornou réu pela série de crimes que cometeu em 23 de junho, no Bairro Vida Nova, em Campo Grande. Ele responde por tentativas de estupro e de roubo, ameaça e pelo estupro de uma das vítimas, que ainda foi violentamente agredida pelo acusado.

A denúncia pelos crimes de estupro tramita na 5ª Vara Criminal e aponta que André Luiz praticou os crimes de contra uma das vítimas, contra a segunda por tentativa de estupro e tentativa de roubo com arma branca, com agravante da vítima ter mais de 60 anos.

Já pela terceira vítima ele responde pelo estupro, se resulta lesão corporal de natureza grave, em concurso com roubo se resulta lesão corporal grave. Por uma das tentativas de roubo, ocasião filmada por câmeras de segurança em que o acusado chegou a ferir a vítima com o facão, ele também responde a outro processo que tramita na 2ª Vara Criminal.

Ataques no Vida Nova

A Polícia Civil confirmou na época que André tinha um padrão de vítimas, todas mulheres que estavam sozinhas e com idade já acima dos 50 anos. A primeira vítima teria sido uma idosa de 64 anos, que chegava em casa quando foi abordada pelo suspeito. Ele colocou a faca nas costas da vítima e a segurou.

A idosa então gritou por ajuda, enquanto o suspeito dizia que a mataria. O vizinho saiu na frente da residência, quando André Luiz fugiu, derrubando a idosa na calçada. A segunda vítima foi uma mulher de 57 anos, que tinha acabado de sair do mercado quando foi abordada pelo bandido na rua.

André atacou a vítima, que reagiu. Ela entrou em luta corporal com o bandido, que dizia que a levaria para um local escuro e ameaçava a matar. A mulher chegou a oferecer os pertences, mas o suspeito recusou. Enquanto estavam em luta corporal, o homem tentou golpear a mulher com a faca, a atingindo com um corte no pescoço.

O guarda da escola que fica nas proximidades viu a ação, que teria ocorrido 10 minutos após a tentativa de ataque à idosa de 64 anos. Ele tinha entrado na escola para guardar as chaves e ao ver a movimentação ajudou a vítima, quando o suspeito fugiu correndo, quando a vítima então sentou no chão e começou a chorar.

Já a terceira vítima, de 54 anos, teve a casa invadida. Armado com a faca, o acusado chegou ao local já por volta das 23 horas e rendeu a mulher. Ela teve mãos e pés amarrados, com fio de ferro de passar roupa, e um pano colocado na boca. O acusado alegou para a polícia que queria cometer roubos para conseguir dinheiro e comprar drogas, no entanto, levou poucos pertences da vítima apesar de revirar a casa.

A moradora foi estuprada e violentamente agredida pelo acusado. Ela teve um ferimento grave no olho, sofreu traumatismo cranioencefálico e teve também um dente quebrado. Só por volta das 5 horas o acusado deixou a casa da vítima, quando ela gritou por socorro. A vizinha ouviu e chamou a Polícia Militar.

Os policiais arrombaram a residência e foi acionado para socorrer a mulher, que agora está na Santa Casa de Campo Grande. Uma força-tarefa foi montada para buscar o acusado, com 16 policiais. Momentos depois, ainda na manhã do dia seguinte ele foi preso, escondido em uma creche na região do Vida Nova.

Na tentativa de despistar os policiais, o acusado chegou a trocar de roupa. A faca usada por ele foi apreendida.

Veja também

Equipe da Base Operacional de Ponta Porã, da Polícia Militar Rodoviária, apreendeu R$ 1,5 milhão...

Últimas notícias