Polícia

Escolha de delegado-geral da Polícia Civil de MS é exclusiva do governador, diz Videira

Secretário da Sejusp afirmou ainda que investigações sobre Adriano Garcia estão avançadas

Renata Volpe Publicado em 17/11/2021, às 12h04

Secretário de Justiça, Antônio Carlos Videira
Secretário de Justiça, Antônio Carlos Videira - Marcos Ermínio, Jornal Midiamax

As investigações que envolvem o delegado-geral da Polícia Civil, Adriano Garcia Geraldo, estão avançadas, conforme explicou o secretário da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), Antônio Carlos Videira, nesta quarta-feira (17). E, caso ele seja afastado, a escolha do nome para assumir o cargo é 'pessoal e exclusiva' do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Delegados denunciaram que Garcia poderia estar usando a Polícia Civilpara interferir na briga pelo jogo do bicho em Campo Grande. Após o desgaste, ele recebeu férias de 15 dias, até 30 de novembro, e a delegacia-geral foi assumida pela delegada Rozeman Geise Rodrigues de Paula.

Ao Jornal Midiamax, Videira afirmou que se reuniu, na última terça-feira (16), com Rozeman e o corregedor, delegado Márcio Custódio. “Eles me atualizaram do procedimento que está na Corregedoria apurando o episódio como um todo e nós estamos acompanhando as oitivas, versões apresentadas. As comissões estão adiantadas e, ao final, vamos receber a proposta com as apurações”.

O titular da Sejusp disse ainda que não está descartada a instauração de outros procedimentos. “Como é um processo administrativo ele tem ritualística diferente, o doutor Adriano está em férias e a Rozeman conduz a DGPC”. 

Com relação ao prazo de 30 dias para conclusão da Comissão Processante, Videira disse que pode ser prorrogado, devido à apresentação de defesa prévia. “Quando a pessoa é ouvida, ela pode apresentar defesa prévia, tem que abrir prazos para os advogados apresentarem defesas prévias. Dependendo da situação pode ser decretado sigilo para não prejudicar as investigações”.

Caso Adriano seja afastado definitivamente do cargo, quem indica o nome para a cadeira é o governador. “Temos muitos delegados habilitados, mas é escolha pessoal do governador, delegado-geral, comandante-geral da PM e do Bombeiros são cargos exclusivos do governador do estado. Porém, não temos ainda nada que leve ao afastamento do Adriano, está em curso as apurações, como está em férias não prejudica em nada as apurações”.

Jornal Midiamax