Polícia

Empresário assassinado na fronteira de MS será sepultado no Líbano

A preocupação dos familiares é com a mãe de Badih, que é bastante idosa e já foi informada da morte do filho

Marcos Morandi Publicado em 17/11/2021, às 09h17

De origem árabe, Badih era proprietário da loja “Jasmim Center”
De origem árabe, Badih era proprietário da loja “Jasmim Center” - Reprodução/redes sociais

O corpo do empresário Badih Mohamed Salém, de 49 anos, assassinado na manhã de ontem em uma padaria de Ponta Porã, será levado para o Líbano para ser enterrado segundo as tradições religiosas libanesas. A pedido de amigos e dos familiares, um velório foi realizado na cidade.

Segundo informações de um irmão da vítima, o corpo seguiu para São Paulo na manhã desta quarta-feira (17) e deverá chegar ao Líbano no domingo (21). A preocupação dos familiares é com a mãe de Badih, que é bastante idosa e já foi informada da morte do filho.

Badih era uma pessoa bem conhecida nos dois lados da fronteira. De origem árabe, o empresário era proprietário da loja “Jasmim Center”, em Pedro Juan Caballero, mas morava com a família em Ponta Porã. Ele também integrava a diretoria da Associação Árabe de Ponta Porã, entidade que congrega a colônia na fronteira.

A polícia investiga o crime, mas testemunhas contaram que a vítima tomava café com um amigo em uma panificadora, momento em que homens teriam chegado e anunciado o assalto. Badih teria reagido e foi atingido por pelo menos seis disparos. Ele ainda foi levado pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Regional, mas morreu quando era atendido.

Depois do crime os marginais fugiram em um carro que roubaram de um advogado que estava na padaria no momento do crime. O veículo foi encontrado abandonado pela Polícia Militar depois que os assassinos tentaram entrar no Paraguai e foram perseguidos pela Polícia Nacional. Até o momento ninguém foi preso.

Jornal Midiamax