Polícia

Em visita a MS, secretário nacional de segurança sobrevoa fronteira e recebe demandas

O secretário nacional de segurança pública Carlos Renato Machado, iniciou sua visita por Mato Grosso do Sul na Capital nesta quinta-feira (21) e passará por mais duas cidades. Os compromissos incluem sobrevoo a fronteira com o Paraguai, visita a Dourados e a Aquidauana. Além disso, Machado recebeu pedido de munições para a Guarda Municipal, analisou […]

Danielle Errobidarte Publicado em 21/01/2021, às 14h04 - Atualizado às 18h11

(Foto: Henrique Arakaki)
(Foto: Henrique Arakaki) - (Foto: Henrique Arakaki)

O secretário nacional de segurança pública Carlos Renato Machado, iniciou sua visita por Mato Grosso do Sul na Capital nesta quinta-feira (21) e passará por mais duas cidades. Os compromissos incluem sobrevoo a fronteira com o Paraguai, visita a Dourados e a Aquidauana. Além disso, Machado recebeu pedido de munições para a Guarda Municipal, analisou relatórios policiais do Estado e soube de protesto de policiais penais à Agepen.

A principal solicitação da Capital foi feita pelo secretário municipal de segurança pública Valério Azambuja. O pedido foi de 30 a 50 mil munições .40 para a Guarda Municipal. “Recebemos 220 pistolas da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e precisamos das munições para realizar o treinamento. Caso seja concedido, até 90 dias após chegarem, os guardas já estarão utilizando o armamento nas ruas”, afirmou Azambuja.

Entretanto, o secretário nacional ainda não deu uma resposta e disse que precisa “verificar o estoque em Brasília”. Machado afirmou que voltará à Capital para inauguração de um presídio de regime fechado no dia 4 de fevereiro. A penitenciária terá capacidade para 603 presos, e seguirá os moldes do Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, inaugurado em 2019.

Já o secretário de segurança pública do Estado, Antônio Carlos Videira, solicitou ao Governo Federal helicópteros, equipamento de segurança pessoal, viaturas e verbas para treinamento de policiais. Ainda disse estar esperançoso com a instauração de um plano de segurança pública nacional, citado por Machado.

Quando questionado sobre o combate ao crime organizações e atuação de facções criminosas no Estado, o secretário nacional explicou que o Plano iniciará no Rio Grande do Norte e Ceará, sendo distribuído para outros estados. “A segunda fase do plano contempla verbas para estados que possuem presídios federais, como Mato Grosso do Sul”, afirmou Videira.

Segurança nos presídios

Videira chegou a comentar, de forma indireta, sobre os protestos feitos nesta quarta-feira (20) em frente à sede da Agepen-MS (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul). O sindicato dos servidores pede a regulamentação da polícia penal a partir de um projeto de lei, contrariando o decreto enviado pela Agepen para a categoria.

Isso porque, atualmente, é a Polícia Militar que faz a segurança externa dos presídios. Os servidores pedem a presença da polícia penal tanto na vigilância da muralha, como na escolta dos presos à unidades de saúde. “Aqui no Estado temos cerca de 20 mil presos, 40% de crimes relacionados ao tráfico de drogas. Com o aumento das apreensões e prisões, é preciso mais agentes para atender à população carcerária”, disse brevemente o secretário.

A visita do secretário nacional à Aquidauana e Dourados está programada para a sexta-feira (22). O sobrevoo a fronteira com o Paraguai, entretanto, também deve acontecer amanhã, mas está condicionado ao tempo chuvoso na região, como nos últimos dias.

Além dos secretários municipais e estaduais de segurança pública, participaram da reunião o delegado geral da Polícia Civil Marcelo Vargas, o comandante geral da Polícia Militar em exercício, Coronel Renato dos Anjos Garnes, o comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Joilson do Amaral, a coordenadora geral de perícia Glória Suzuki, o diretor do DOF (Departamento de Operações da Fronteira) coronel Wagner Ferreira da Silva e o subcomandante da Polícia Militar Rodoviária João Paulo Chink.

Jornal Midiamax