Polícia

Em operação, apreensões de drogas, armas e contrabando atingem valor de R$ 1,6 milhão

As fiscalizações são realizadas em todas as áreas de Corumbá e Ladário

Renata Volpe Publicado em 10/04/2021, às 07h33

Policiais durante a fiscalização
Policiais durante a fiscalização - Divulgação, Marinha

Durante a Operação Ágata Oeste realizada em quase duas semanas, as apreensões de drogas, armas, contrabando e descaminho, atingiram o valor estimado de R$ 1,6 milhão. 

As fiscalizações são realizadas em todas as áreas de Corumbá e Ladário, principalmente as que dão acesso à região de fronteira, como no Posto Esdras, que fica na divisa entre os dois países, bem como estradas vicinais e também o posto de fiscalização Lampião Aceso, que fica às margens da BR-262.

Segundo informações do Diário Corumbaense, o valor, se somado aos resultados obtidos pelos Órgãos de Segurança Pública e Fiscalização de 22 a 31 de março, em outras ações, totalizam mais de R$ 12 milhões de prejuízo ao crime organizado, conforme balanço da operação coordenada pelo Ministério da Defesa.

Durante a operação, foram realizadas ações de bloqueio e controle de estradas e rios, operações aeromóveis, patrulhas fluviais e inspeções navais, utilizando ferramentas e informações geradas pelo Sistema de Integrado de Monitoramento de Fronteiras, o Sisfron.

Quatro ações cívico-sociais, com atendimentos médicos e odontológicos, aconteceram em Porto Murtinho, Passo do Lontra e Bela Vista, no Mato Grosso do Sul.

Operação Ágata Oeste

Desde 2017, a operação Ágata realiza uma nova formatação de atuação. Nas edições anteriores, a operação era desencadeada em nível nacional e simultaneamente em todas as fronteiras brasileiras. Hoje, segundo o Ministério da Defesa, elas são pontuais, sem datas previstas para ocorrer e sem prazo determinado.

Participaram a Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Receita Federal (RFB), Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Polícia Civil e Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS).

Foram empregados cerca de 1.600 militares do Comando Militar do Oeste (Exército Brasileiro), 6º Distrito Naval (Marinha do Brasil) e da ALA 5 (Força Aérea Brasileira) em apoio aos órgãos de segurança.

Jornal Midiamax