Polícia

Em MS, mãe recebe mensagem de filho sequestrado em MG e jovem é encontrado morto

Ela afirmou que foi pedido valor de R$ 5 mil e amigos da vítima disseram que ele tinha viajado

Danielle Errobidarte Publicado em 27/10/2021, às 15h48

None
(Foto: Henrique Arakaki - Arquivo Midiamax)

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul investiga suposto crime de extorsão após a morte de Fábio Ribeiro Acosta, encontrado em Belo Horizonte-MG. A mãe dele registrou um boletim de ocorrência nesta quarta-feira (27), após receber mensagem do perfil do filho, dizendo que ela deveria depositar R$ 5 mil ou ele seria morto. O corpo dele foi localizado no IML da cidade mineira.

Conforme informações do boletim de ocorrência, a mãe de Fábio afirmou que recebeu uma mensagem de seu filho pelo Instagram, dizendo que ela precisava enviar o valor de R$ 5 mil, pois ele teria sido sequestrado. O valor precisava ser depositado até as 15h de hoje, ou iriam enviar um vídeo de Fábio sendo morto.

A mãe afirmou que tentou, de diversas maneiras, entrar em contato com o filho, mas o celular estava dando desligado. Ela informou que o rapaz mora em Sanga Puitã, no Paraguai, com o irmão dela. Ela entrou em contato com o tio de Fábio, que informou que ele havia viajado para Belo Horizonte-MG.

A mãe ainda procurou por um amigo da vítima, que alegou que ele tinha viajado para São Paulo, mas já estava no ônibus de volta para a cidade paraguaia, e que o celular de Fábio havia quebrado. A mulher afirmou não ver o filho desde a sexta-feira (22).

Enquanto registrava o boletim de ocorrência na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, a mulher recebeu uma mensagem de pessoa que se identificava como funcionário do IML (Instituto Médico Legal) de Minas Gerais, com foto da carteira de motorista de Fábio, dizendo que ele havia falecido.

Os policiais da Depac, então, entraram em contato com a Polícia Civil de Minas Gerais e confirmaram que Fábio foi encontrado morto e o corpo estava no IML de Belo Horizonte. A causa da morte não foi identificada.

Jornal Midiamax