Polícia

Em festa com 200 pessoas, 4 militares da Marinha são detidos após desacatarem policiais em MS

Marinha disse que abrirá procedimento para apurar caso

Dayene Paz Publicado em 23/05/2021, às 16h58

None
Haviam mais de 200 pessoas em festa | Imagem: Diário Corumbaense

A Polícia Militar acabou com uma festa clandestina com mais de 200 pessoas na noite deste sábado (22) na cidade de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande. Quatro militares da Marinha do Brasil, lotados no 6° Distrito Naval de Ladário, acabaram levados para a delegacia após desacatarem a polícia.

Os militares, que tem idades de 23 e 24 anos, participavam de uma festa na área central de Corumbá. A PM foi acionada e durante fiscalização do cumprimento do Toque de Recolher constataram que no local haviam mais de 200 pessoas, sem máscara e sem manter o distanciamento.

Diante da situação, a PM pediu para que os participantes se dispersassem, momento em que houve confusão. De acordo com o Diário Corumbaense, eles teriam dito: “vocês não são m***a nenhuma!”. Ao receberem voz de prisão ainda tentaram resistir e foi necessário o uso de algemas para contê-los. Eles foram detidos por infração de medida sanitária preventiva.

O flagrante aconteceu durante a Operação Estado Prevenido III, composta pelo GFI da Prefeitura de Corumbá, Bombeiro Militar, Polícia Militar.

Na madrugada do sábado (22) situação semelhante aconteceu. Um militar da Marinha foi abordado pelas equipes do GFI na ladeira Cunha e Cruz para orientação a respeito da necessidade do cumprimento do Toque de Recolher. Ele recusou a passar a identificação dizendo que era militar da Marinha e que o “Município não teria autoridade para interpelá-lo, por ser um servidor federal”. O rapaz foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil por descumprimento e desobediência.

Já na Delegacia, ele se recusou a utilizar máscara alegando ser militar e dizendo que estaria “no seu direito de ir e vir”. Foi novamente orientado e após muita discussão decidiu colocar a máscara. Foi aberto procedimento administrativo pertinente e registrado boletim por desobediência e infração de medida sanitária.

Em nota, a Marinha do Brasil informou que abrirá procedimento administrativo para apurar os fatos e então adotar as medidas necessárias sobre os dois episódios.

Jornal Midiamax