Polícia

Dois são autuados por pesca com redes em modalidade 'bandeirinha'

Apreendeu redes e 10 kg de peixes

Diego Alves Publicado em 22/06/2021, às 00h23

Divulgação, PMA
Divulgação, PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Bataguassu prendeu e autuou dois paulistas em R$ 2 mil por pescar com redes de pesca em uma modalidade nova denominada “bandeirinha” e apreende redes e 10 kg de peixes.

Policiais ambientais realizavam fiscalização próximo à ponte que liga MS ao estado de São Paulo, quando se depararam com dois homens pescando na cabeceira da ponte, localizada na BR 267, no km 2. Os infratores pescavam com redes de pesca (petrecho proibido) em uma modalidade nova de pesca conhecida como “bandeirinha”, que consiste em conectar as redes de pesca nas pontas das linhas das varas, como uma bandeira, e lançar no canal de navegação do rio, de cima da ponte, que é alta com relação à água.

Os infratores iniciavam a pescaria, mas já haviam capturado 10 kg de pescado. Foram apreendidas cinco redes de pesca, seis varas com molinetes que eram utilizadas para lançar as redes de pesca no rio e o pescado. Os pescadores, de 46 e 76 anos, residentes em Presidente Epitácio (SP), foram autuados administrativamente e foram multados em um total de R$ 1.940,00. Eles também responderão por crime ambiental, que prevê pena de um a três anos de detenção.

Uma das preocupações da Polícia Militar Ambiental relativamente à pesca predatória é o uso de petrechos proibidos com grande poder de depredação de cardumes, especialmente, as redes de pesca. Dessa forma, a PMA precisa manter a fiscalização constante para evitar, que as pessoas armem os petrechos. Neste caso, graças a chegada da fiscalização, os infratores não tiveram tempo de capturar grande quantidade de pescado.

Jornal Midiamax