Polícia

Discussão termina em incêndio e fogo destrói kitnet no Amambaí

Na manhã deste sábado (23), uma kitnet foi destruída por um incêndio no bairro Amambaí, em Campo Grande. 

Dândara Genelhú Publicado em 23/01/2021, às 08h58 - Atualizado às 15h35

Chamas atingiram principalmente sala da kitnet. Foto: Henrique Arakaki | Midiamax.
Chamas atingiram principalmente sala da kitnet. Foto: Henrique Arakaki | Midiamax. - Chamas atingiram principalmente sala da kitnet. Foto: Henrique Arakaki | Midiamax.

Na manhã deste sábado (23), uma kitnet foi destruída por um incêndio no bairro Amambaí, em Campo Grande. De acordo com o morador da residência, que preferiu não se identificar, o fogo foi ateado após uma briga de casal.

Ele comentou que a esposa acabou colocando fogo na própria casa, depois de desentendimento entre eles. Entretanto, o Corpo de Bombeiros, destacou que a causa das chamas ainda será investigada e pode ter origem em curto-circuito ou criminosa.

Com as chamas, o ambiente foi todo destruído, parede e janelas foram queimadas. A sala foi o cômodo mais afetado, onde o fogo atingiu até o teto. Além disto, parte do fundo do quarto e banheiro pegaram fogo com menos intensidade.

Então, a equipe de Bombeiros retirou apenas um ventilador queimado da residência. A kitnet era mobilhada por ele, um sofá e um colchão. As chamas foram contidas com 500 litros de água.

Discussão termina em incêndio e fogo destrói kitnet no Amambaí
Foto: Henrique Arakaki | Midiamax.

A kitnet faz parte de um conjunto de seis casas, que segundo o tenente Silvanei Barbosa Coelho são invadidas por usuários de drogas. Metade delas são ocupadas e outras três estão abandonadas.

O morador afirmou que aluga a propriedade, porém uma vizinha afirmou que o indivíduo passou a morar na casa após visitar a tia dele que mora na frente do imóvel. A mesma vizinha foi responsável por acionar a equipe dos Bombeiros.

Por fim, o tenente lembrou que após a operação da antiga rodoviária, muitos usuários de drogas foram dispersados pela cidade. Assim, algumas residências abandonadas se tornaram moradia dessas pessoas.

Jornal Midiamax