Polícia

Corpo de homem de 41 anos desaparecido há um dia é encontrado em córrego

Pai viajou para Campo Grande ao saber do desaparecimento

Renata Portela e Danielle Errobidarte Publicado em 18/06/2021, às 15h02

Corpo foi encontrado submerso no córrego
Corpo foi encontrado submerso no córrego - (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Enerson Santana Dionísio, de 41 anos, foi encontrado morto na tarde desta sexta-feira (18), em um córrego nas margens do anel viário, na região do Itamaracá, em Campo Grande. Desaparecido desde quinta-feira (17), ele teve o corpo encontrado por um homem que passava pelo local.

No local em que foi encontrado, estavam o pai e a tia de Enerson, que morava no Itamaracá. O pai, Luiz Santana, contou que mora em Coxim e veio para Campo Grande após saber que o filho estava desaparecido. Ele saiu de Coxim com dinheiro emprestado de um amigo para poder pagar o combustível do carro.

Já na tarde desta sexta-feira, o corpo do filho foi encontrado no córrego. Renato Gama, de 38 anos, contou que voltava da chácara de um conhecido e estava muito sujo. Assim, ele usou um pano que tinha no carro para se limpar e decidiu parar no córrego para lavar o pano. Logo que desceu nas margens, viu o corpo submerso na água.

De início ele não pensou que era uma pessoa, mas sim um manequim. Assustado, Renato saiu da água, foi até as margens da estrada e acionou a Polícia Militar. Equipe foi ao local e também foram acionados Corpo de Bombeiros, Perícia e Polícia Civil. A tia de Enerson, Miriam, contou que morava perto do sobrinho.

Segundo ela, Enerson estava abalado desde que terminou o relacionamento, há aproximadamente 7 meses. Nesta semana, ele teria enviado um áudio para a tia e ela conta que percebeu a tristeza na voz dele. O pai de Enerson também disse que o filho estava abalado desde a separação e dizia que ouvia vozes.

Na quinta-feira, Enerson foi para o trabalho, em uma marcenaria. Por volta das 12 horas ele saiu do local, deixando para trás a marmita e também a bicicleta que usava. Depois disso, não foi mais visto. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Jornal Midiamax