Polícia

Defesa usa carta de irmã de menina morta aos 17 anos para tentar livrar assassino da prisão

A defesa de Felipe da Silva Gomes acusado de matar a esposa de 17 anos, Nicolli Teixeira com um tiro na cabeça e outro no peito, no dia 19 de janeiro de 2020 tenta usar a carta escrita a próprio punho pela irmã da vítima para livrar o autor da cadeia. Em junho do ano […]

Thatiana Melo Publicado em 21/01/2021, às 09h13 - Atualizado às 16h12

Na carta a irmã da vítima fala sobreo sofrimento da família (Reprodução)
Na carta a irmã da vítima fala sobreo sofrimento da família (Reprodução) - Na carta a irmã da vítima fala sobreo sofrimento da família (Reprodução)

A defesa de Felipe da Silva Gomes acusado de matar a esposa de 17 anos, Nicolli Teixeira com um tiro na cabeça e outro no peito, no dia 19 de janeiro de 2020 tenta usar a carta escrita a próprio punho pela irmã da vítima para livrar o autor da cadeia. Em junho do ano passado, foi tentada a liberdade de Felipe que foi negada pela Justiça.

A defesa pediu para a Justiça a inclusão da carta da irmã de Nicolli nos autos para que servisse de prova na tentativa de livrar Felipe da cadeia. A carta foi entregue ao autor, que está preso desde a época do crime. Nela, a irmã da vítima diz que perdoou o assassino e que toda a família está sofrendo com a morte da adolescente.

Ainda na carta há um trecho em que a irmã diz: “Felipe você foi a pessoa que salvou a Nicolli, mas também a pessoa que tirou a vida dela. Eu imagino o que você está passando, pois eu sofro em silêncio pois meus pais já estão sofrendo”.

Em outro trecho da carta, há o relato para Felipe de como está o filho que tinha com Nicolli, de como a criança cresceu e sente a falta da mãe. Também descreve o sofrimento dos pais do assassino.

Em junho do ano passado, a defesa de Felipe pediu pela sua liberdade alegando ‘bons antecedentes’, contrariando as passagens que Felipe teria como roubo, lesão corporal e perturbação do sossego. Na peça, a defesa alegou que seu cliente é réu primário “sem indícios suficientes que possam aferir progressão em sua agressividade”.

Defesa usa carta de irmã de menina morta aos 17 anos para tentar livrar assassino da prisão
Nicolli foi assassinada em casa após um discussão

Em depoimento depois de ter cometido o crime, Felipe afirmou que agiu no momento da discussão, e que estava sob efeito de álcool e drogas e também que cometeu o crime depois de descobrir traições de Nicolli.

Nicolli foi assassinada com dois tiros, que atingiram a cabeça e o peito da adolescente. A arma usada para cometer o crime era do sogro de Felipe. O casal começou uma discussão durante a madrugada do dia 19 de janeiro quando os dois teriam feito o uso de drogas e álcool e Nicole teria confessado ao companheiro que o havia traído. O bebê de 3 meses, filho do casal, estava na casa no momento do assassinato. Foi neste momento em que o rapaz pegou a arma do sogro que estava na casa e atirou contra a esposa, que morreu no local. Ele foi preso em flagrante.

Felipe já tinha passagens pela polícia, quando ainda era adolescente, por lesão corporal na direção de veículo automotor, perturbação do sossego alheio, roubo e já esteve internado na Unei Novo Caminho.

Jornal Midiamax