Polícia

De Campo Grande, Miss Transex Brasil é presa por dopar e roubar clientes após sexo

Polícia do RJ prendeu a jovem na praia, acusada de roubar clientes após programas sexuais

Thatiana Melo Publicado em 29/11/2021, às 09h47

Nas redes, jovem se identifica como Mikaelly Zanoto
Nas redes, jovem se identifica como Mikaelly Zanoto - (Redes Sociais)

A Miss Transex Brasil, Mikaelly da Costa Martinez, nascida em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, acabou presa na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, acusada de aplicar vários golpes em clientes. Ela é apontada como chefe de uma associação criminosa que rouba clientes durante programas sexuais. Em 2015, Mikaelly foi apontada como autora da morte da transexual Verônica Bismarck, em Coxim, a 253 quilômetros de Campo Grande. 

Mikaelly foi levada pela polícia até a 16ª Delegacia do Rio de Janeiro, onde foi acusada de atrair os homens através do seu perfil no Instagram e, ao chegar a motéis, dopá-los para furtar celulares, relógios e cartões de débito e crédito. O delegado Leandro Gontijo disse ao Jornal O Globo que uma das vítimas da transexual contou que conheceu Mikaelly em um bar, em junho deste ano.

Ele disse que na saída do bar, quando os dois entraram no carro dele em direção a um motel, ela no estabelecimento teria lhe dado uma lata de cerveja com algum tipo de substância. A vítima ainda disse que ao acordar percebeu que estava sem a carteira e o celular. Quando questionou a transexual, ela teria surgido no quarto com seu comparsa fugindo em seguida. Dias depois, a vítima percebeu que foram feitas três transações financeiras de R$ 6 mil e uma tentativa de empréstimo de R$ 5 mil. Segundo as investigações, Mikaelly usava vários nomes, o que dificultava sua identificação.

Em Mato Grosso do Sul, Mikaelly tem 17 passagens por furto, além de dano e receptação. Em janeiro de 2015, ela foi presa em flagrante por matar a travesti Douglas dos Santos Pinheiro, conhecido como Verônica Bismark, com um golpe de canivete às margens da BR-163, em Coxim, a 260 quilômetros de Campo Grande. Um acerto de contas seria o motivo para o assassinato.

Ela também é suspeita de crimes em São Paulo e em Santa Catarina. Mikaelly Zanoto foi eleita, em 2019, como Miss Transex Brasil, faixa que passaria neste ano em evento já anunciado nas redes sociais. Ela concorreu por Campinas, São Paulo, mas é natural de Campo Grande. 

Jornal Midiamax