Polícia

De barcos a caminhão, leilão do tráfico tem lance mínimo de R$ 200

Nesta quarta-feira (31) será realizado leilão com nove lotes de veículos apreendidos com traficantes e contrabandistas em Mato Grosso do Sul. O procedimento foi autorizado pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), via Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança e Pública), por intermédio da leiloeira Maria Fixer. Ao todo, são dois barcos, dois motores de popa, […]

Renan Nucci Publicado em 30/03/2021, às 15h56 - Atualizado às 16h37

Barco que será leiloado nesta quarta-feira. Foto: Reprodução
Barco que será leiloado nesta quarta-feira. Foto: Reprodução - Barco que será leiloado nesta quarta-feira. Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (31) será realizado leilão com nove lotes de veículos apreendidos com traficantes e contrabandistas em Mato Grosso do Sul. O procedimento foi autorizado pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), via Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança e Pública), por intermédio da leiloeira Maria Fixer. Ao todo, são dois barcos, dois motores de popa, duas motos, três carros e um caminhão. Os itens estão avaliados em até R$ 72 mil. No entanto, um dos carros é uma sucata com lance mínimo de R$ 200.

O caminhão, o mais caro deles, encontra-se apreendido na Delegacia de Polícia Federal de Ponta Porã, a 334 quilômetros de Campo Grande. O arrematante disporá do prazo de até 10 dias, a contar da data do leilão, para efetuar a retirada do lote de seu local de armazenamento, isento de quaisquer ônus a título de estadia, guarda e conservação. Após esse prazo, as despesas, caso devidas, correrão por sua conta do comprador até o momento de retirada.

No início deste mês, a diretoria da Senad esteve em Campo Grande para avaliar a situação de delegacias que estavam lotadas de veículos apreendidos com criminosos, a exemplo da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico). Neste sentido, foi articulado junto ao TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para que os veículos fossem leiloados o quanto antes. Do total arrecadado, 40% retorna ao estado para investimento em segurança.

Ainda neste mês passado, o desembargador Luiz Tadeu Barbosa Silva, corregedor-geral do TJMS autorizou que 849 veículos fossem removidos das delegacias de Campo Grande, Dourados, Amambai, Três Lagoas, Água Clara e Ponta Porã. No dia 1, a Denar realizou a remoção de 274 veículos que lotavam o pátio e ofereciam risco à saúde, pois serviam como foco de proliferação de insetos transmissores de doenças.

Jornal Midiamax