Ao Jornal Midiamax, o suspeito, de 22 anos, contou que seu pai, um catador de recicláveis de 54 anos, seguia com sua caminhonete pela rua Teodoro Rondon, quando teria sido ‘fechado’ por outro condutor, que também estava em uma caminhonete. O homem teria dito para seu pai, “respeita que aqui é polícia” e, em seguida, teria descido do veículo e o agredido com ajuda de outras três pessoas.

O lutador relatou que o agressor tem 26 anos. “Meu pai apanhou quieto, se defendendo. Depois seguiu os autores, acionou a polícia e me ligou chorando”, disse.

O jovem, que é campeão de Muay Thai na Tailândia, chegou no local e, conforme o próprio relato, foi xingado pelo rapaz de 26 anos, que se identificava como filho de sargento. “F*%#-se seu pai, ele tomou um pau”, afirmou o agressor.

Então, o lutador teria provocado o rapaz, que tentou agredi-lo, mas, acabou levando um soco do professor de artes marciais. Em seguida, o lutador conta que recebeu uma ‘gravata’ de um policial. “Se eu não soubesse lutar, teria apanhado muito, porque o policial estava me segurando, mas consegui dar dois chutes no peito dele. Como ele viu que não conseguiria nada comigo, foram para cima do meu pai novamente”, relatou o atleta.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana como vias de fato. No boletim de ocorrência, o rapaz de 26 anos conta que o catador de recicláveis teria discutido com ele no trânsito e que depois o seguiu até a sua residência.

O homem, então, teria chamado seu filho, lutador de artes marciais, e teria começado a discutir com ele. O rapaz conta que foi agredido com socos e chutes, momento em que teria começado a briga generalizada.

A polícia interveio para acabar com a briga e foi preciso solicitar apoio de outras viaturas. Uma mulher teria relatado que foi empurrada quando tentava tirar o marido da confusão. Todos foram encaminhados para a delegacia para as providências.