Polícia

Com vendas de até 300 quilos de maconha, “patroa do tráfico” é presa na fronteira

Ela é apontada como principal fornecedora de drogas na cidade de Coronel Sapucaia, na fronteira com Capitan Bado

Marcos Morandi Publicado em 02/09/2021, às 11h08

Mulher de 35 anos foi monitorada e presa pelos agentes da Defron
Mulher de 35 anos foi monitorada e presa pelos agentes da Defron - Defron

Por meio de um trabalho investigativo iniciado há algumas semanas, agentes da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) conseguiram prender, nesta quarta-feira (1º), uma mulher, de 35 anos, conhecida como “patroa do tráfico”. Ela é apontada como principal fornecedora de drogas na cidade de Coronel Sapucaia, na fronteira com Capitan Bado.

Segundo o delegado da Defron, Rodolfo Daltro, a “Patroa do tráfico” abastecia compradores de drogas que seriam comercializadas no varejo na Grande Dourados e em Campo Grande. “Ela não comercializava grandes quantidades de entorpecentes para os padrões da fronteira, mas sim até 300 quilos de maconha e skunk”, explica Daltro.

Segundo ele, as drogas eram colocadas em carros de passeio pelos compradores, o que chamaria menos atenção das forças policiais. Com esse procedimento, a droga era mantida por curto período no imóvel em que residiam. A investigada visava diminuir o risco de ser presa em flagrante. Com essa logística, mensalmente, dezenas de veículos eram carregados com as substâncias ilícitas fornecidas pela mulher.

Nesta quarta-feira, antecedendo a chegada de um comprador, que já havia encomendado certa quantidade de drogas, a investigada atravessou a fronteira e na cidade paraguaia de Capitão Bado buscou, com o auxílio de um comparsa, as substâncias que logo após levadas para o Brasil já seriam retiradas.

Ciente dessa situação, os policiais, ao monitorarem o imóvel onde reside a “patroa do tráfico”, identificaram o momento em que o automóvel por ela dirigido adentrou ao imóvel, sendo então realizada a abordagem.

No carro e no imóvel foram apreendidos 189,850 quilogramas de maconha, droga que seria destinada a compradores residentes em Ivinhema, conforme dito pela presa. Com ela também foi preso um comparsa, de nacionalidade paraguaia.

Jornal Midiamax