Polícia

Carreta que era usada por facção baiana na fronteira é apreendida na BR-163

Ação foi deflagrada pela Defron, com o apoio do Garras,  SIG de Ponta Porã  e policiais civis de Rio Brilhante

Marcos Morandi Publicado em 14/04/2021, às 06h47

Polícia descobriu que carreta foi transferida para nome de um laranja
Polícia descobriu que carreta foi transferida para nome de um laranja - Defron/Divulgação

Após a apreensão de 7 toneladas de maconha em Ponta Porã, em março, cidade que faz fronteira com Pedro Juan Caballero, uma força tarefa da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira), Garras e SIG (Setor de Investigação Geral) conseguiram recuperar uma carreta utilizada por uma facção criminosa da Bahia.

Segundo o delegado Rodolfo Daltro, a operação que também contou com o apoio da Delegacia de Polícia Civil em Rio Brilhante, aprendeu o veículo avaliado em R$ 250 mil e que recentemente, após a prisão dos líderes da organização baiana, foi transferida para o nome de um laranja.

Durante a abordagem, o condutor da carreta, que é residente em São Paulo foi preso e segundo o delegado da Defron, ele já possui condenação por ter sido flagrado transportando quatro toneladas de maconha.

O condutor alegou que havia sido contratado para buscar uma carga de reciclados em Campo Grande, que teria como destino a cidade de São Paulo.  “A carreta em questão era utilizada para transportas grandes quantidades de entorpecentes de Ponta Porã para vários Estados do país, principalmente a Bahia”, explicou o delegado.

A carreta foi apreendida em um Inquérito instaurado pela Defron que apura a prática de lavagem de dinheiro, crime praticado pelos integrantes da organização criminosa da Bahia, que era comanda por uma mulher, que também está presa.

Jornal Midiamax