Polícia

Assassinada com tiros nas costas em frente a quitinete tinha várias passagens pela polícia

Gisele tinha passagens por homicídio, furto e tráfico de drogas

Thatiana Melo Publicado em 12/04/2021, às 09h23

None
Vítima morreu no local, antes que pudesse ser socorrida (Cido Costa/Dourados Agora)

Gisele Santana, de 24 anos, conhecida como “Barca”, que foi executada com tiros nas costas na noite de sábado (10), em Itaporã, a 225 quilômetros de Campo Grande tinha várias passagens pela polícia, segundo informações da PM.

De acordo com a polícia, Gisele tinha passagens por homicídio, furto, tráfico de drogas e ameaça. Não se sabe ainda a motivação para o crime e os possíveis autores, que fugiram em um Voyage, de cor prata, ainda não foram localizados. Gisele estava sentada em uma cadeira na frente da quitinete onde morava de costas para a rua, quando um veículo Voyage prata chegou no local.

O motorista reduziu a velocidade e o passageiro atirou. Uma testemunha que estava por perto disse que, logo ao ouvir os disparos, saiu correndo com medo de ser baleada. Ao retornar, percebeu que a vítima estava gravemente ferida. Foi acionado socorro, mas ela não resistiu e morreu ainda no local.

Equipes da Polícia Militar foram acionadas e fizeram rondas, mas nenhum suspeito foi encontrado. A Polícia Civil e a perícia colheram informações que podem auxiliar no esclarecimento dos fatos. O caso é tratado como homicídio qualificado.

Jornal Midiamax