Polícia

Após recusar programa, motorista de aplicativo é roubado, mantido em cárcere e deixado só de cueca em MS

Criminosos disseram que veículo seria usado em um homicídio

Renan Nucci Publicado em 20/06/2021, às 12h42

None
Foto Ilustrativa

Motorista de aplicativo de 65 anos foi mantido em cárcere durante assalto ocorrido entre o final da noite de sábado (19) e o início da madrugada deste domingo (20), em Corumbá, município distante 425 quilômetros de Campo Grande, localizado na fronteira com a Bolívia. A vítima chegou a recusar um programa sexual, foi amarrada e deixada apenas de cueca. A suspeita é de que o carro tenha sido atravessado para o país vizinho.

Conforme boletim de ocorrência, o motorista foi acionado para levar uma passageira até o posto fiscal da Polícia Federal. Na volta, pegou outra corrida com cinco pessoas, sendo elas três homens e duas mulheres. Ele levou o grupo até o bairro Flamboyant e estacionou em frente a um condomínio. Todos desembarcaram e subiram para um apartamento, mas um dos passageiros pediu o telefone dele emprestado, para que pudesse realizar uma ligação.

Conforme o motorista, parecia que a mãe de uma das garotas que ele levou estava nervosa e começou a discutir com a filha. No entanto, o grupo retornou para o carro e esta mulher, identificada como mãe de uma das garotas, se ofereceu para fazer um programa com a vítima e sugeriu que todos fossem para o motel, mas o motorista recusou. Tal mulher então sugeriu uma outra corrida, desta vez para um estabelecimento a fim de comprar bebida.

Esta mulher foi no banco da frente, juntamente com dois dos homens e duas mulheres atrás. O grupo comprou bebidas em um bar e, na volta, quando eles desembarcaram, o motorista aproveitou e desceu para urinar em uma área  de mato, oportunidade em que foi abordado por um dos homens armado com faca, que anunciou o assalto. O indivíduo afirmou ser faccionado e rendeu a vítima, obrigando-a a ficar trancada no porta-malas.

Eles rodaram por vários minutos até que deixaram a vítima só de cueca, com as mãos e os pés amarrados, e disseram que iriam levar o veículo. Cerca de 20 minutos após ser abandonado, o motorista conseguiu se soltar e pediu ajuda em uma igreja. Ele disse ainda que durante o crime, enquanto estava trancado no porta-malas, ouviu dizer que o carro seria usado apenas para que o bando pudesse cometer a execução de um desafeto.

O caso é investigado.

Jornal Midiamax