Polícia

Agentes descobrem túnel e impedem fuga em massa de membros do PCC no Paraguai

Segundo a ministra da Justiça, entre os detentos do presídio de Itapúa, estão criminosos ligados à organização criminosa brasileira

Presos cavaram buraco de três metros e planejavam fuga em massa
Presos cavaram buraco de três metros e planejavam fuga em massa - Divulgação

Pessoal de inteligência do Cereso (Centro de Reabilitação Social) do distrito de Cambyretá, no Departamento de Itapúa, descobriu um túnel de três metros que seria utilizado para uma fuga em massa. Entre os detentos estão criminosos ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital).

Segundo a ministra da Justiça, Cecilia Pérez, na manhã desta quarta-feira (4), foi descoberto um buraco de cerca de três metros no chão do pavilhão onde se encontram cerca de 130 membros do grupo Primeiro Comando da Capital.

Ela revelou que os agentes tiveram informações sobre o plano de fuga há algumas semanas e começaram a verificar a estrutura da penitenciária, quando encontraram paredes rachadas no setor do pavilhão do PCC. Ela disse que, devido aos controles, os presos também reduziram o “trabalho” de escavação, por causa de um vazamento de água que inundou o buraco.

A ministra também afirmou, segundo informações do ABC Color, de acordo com os dados que foram descobertos, que o PCC tinha planejado direcionar o túnel até a população e ali fazer reféns para fugir, pois no setor da mata que fica nas proximidades da prisão vivem soldados e policiais constantemente.

Cecília também explicou que o setor onde se encontram estes reclusos tem segurança reforçada, com piso duplo de cimento, mas, mesmo assim, da mesma forma foi possível cavar uma fossa, situação que gerou fissuras nas paredes. Uma possível participação de agentes penitenciários também é investigada pela polícia paraguaia.

Jornal Midiamax