Polícia

Advogado executado na fronteira já tinha sofrido ataque em fevereiro

Polícia investiga se execução está relacionada com denúncias políticas feitas por Nestor Echeverria, que era candidato a vereador em Pedro Juan Caballero

Marcos Morandi Publicado em 01/10/2021, às 06h29

Candidato foi executado enquanto bebia com mais três amigos
Candidato foi executado enquanto bebia com mais três amigos - Via WhatsApp

O advogado e candidato a vereador em Pedro Juan Caballero, Nestor Echeverria, executado a tiros na região central da cidade na noite desta quinta-feira (30) já tinha sofrido um atentado em fevereiro deste ano.

No primeiro ataque, ele chegou a ser atingido por um pistoleiro que estava em uma motocicleta. Um dos tiros acertou o rosto do advogado que vinha fazendo denúncias contra políticos da cidade.

A Polícia Nacional investiga se o atentado desta quinta-feira e que resultou na morte do advogado está relacionado à disputa política na região de fronteira seca com o Brasil e com as denúncias que ele vinha fazendo contra candidatos tradicionais da cidade.

Após a manifestação na noite desta quinta, ele e mais três companheiros de partido, bebiam em uma lanchonete. Os autores chegaram ao local de moto e em um carro e dispararam várias vezes contra Echeverria. Um dos tiros atingiu o braço de Ricardo Villalba, que teve que ser internado.

Jornal Midiamax