Polícia

Adolescentes decidiram estuprar menina de 3 anos após deixarem velório para comprar pinga

Eles disseram ter encontrado criança na rua e se revezado para cometer o crime no matagal

Thatiana Melo Publicado em 07/10/2021, às 08h43

None

Os adolescentes que estupraram uma menina de 3 anos, na cidade de Amambai, a 352 quilômetros de Campo Grande, na última sexta-feira (1º), cometeram o crime após saírem do velório da tia de um deles para comprar pinga. A criança foi encontrada na casa de uma agente de saúde, molhada e chorando muito.

O relato dos dois foi dado em depoimento durante a audiência de custódia. Eles estão em uma Unei (Unidade Educacional de Internação). Quando os garotos de 16 e 17 anos, foram apreendidos no dia seguinte ao crime, no sábado (2), confessaram o estupro. O adolescente de 16 anos relatou que estava no velório de sua tia, quando por volta das 16h saiu com o adolescente de 17 anos para comprar pinga.

No meio do caminho, a dupla encontrou a menina e resolveram estuprá-la. Eles a levaram para o meio do mato e cometeram o crime, sendo que eles se revezaram para estuprar a criança, que foi deixada perto de uma escola após a violência, sozinha. 

Após o crime, os adolescentes voltaram para casa para beber a pinga. O garoto de 17 anos disse durante seu depoimento que conhecia o pai da criança, mas não se lembrava de onde. A menina foi encontrada a cerca de 7 quilômetros de sua casa, na residência de uma agente de saúde.

Descoberta do crime

Após mutirão para encontrar a menina, foi descoberto que ela estava na casa da agente de saúde, tendo ido o pai buscá-la. Já em casa, a mãe foi dar banho na filha e percebeu que ela estava com sangue e fezes, momento em que voltou à casa da agente de saúde para questionar o que havia ocorrido.

A agente disse que a criança estava perto de sua casa chorando muito, sem conseguir dizer o que tinha acontecido e quem eram seus pais. 

Apreensão x Unei

Os garotos foram encontrados no dia seguinte ao crime, sábado (2), e encaminhados para a delegacia, onde confessaram o crime. Eles passaram por audiência de custódia no dia 4, momento em que foi determinada pelo juiz a internação dos dois por 45 dias. Uma audiência de continuação foi marcada para o da 26 deste mês. 

Jornal Midiamax