Polícia

Acusado de matar jovem de 19 anos em discussão por dívida se apresenta à polícia

Vítima teria sido atingida com uma facada

Renata Portela e Danielle Errobidarte Publicado em 24/05/2021, às 16h42

Autor do crime foi à delegacia acompanhado do advogado e da namorada
Autor do crime foi à delegacia acompanhado do advogado e da namorada - (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Na tarde desta segunda-feira (24), homem de 35 anos acusado de assassinar Bruno Matos de Oliveira, de 19 anos, na última quarta-feira (19), se apresentou à polícia. O crime aconteceu na casa onde a vítima morava com a esposa, na Travessa Café Suave, no Residencial Sírio Libanês II.

Segundo o advogado Amilton Ferreira, o acusado estava na companhia da esposa e do filho, de 1 ano e seis meses, no momento do crime. Ele afirma que o casal combinou de ir até a padaria e depois passariam na casa de Bruno, para acertarem uma dívida de conta de luz. A defesa alega que, se o acusado já tivesse a intenção de matar a vítima, não teria ido com a família.

Para o advogado, o cliente agiu em legítima defesa. Autor e vítima tiveram uma discussão durante o acerto da dívida e trocaram socos. A esposa de Bruno também estava no local e, bem como a esposa do autor, entrou na briga. Em determinado momento, segundo o acusado, Bruno teria ido para cima da esposa dele.

Além disso, conforme o suspeito, Bruno teria feito menção de sacar uma arma da cintura. Neste momento, o autor sacou a faca, que costuma levar consigo, e atingiu a vítima no tórax. O advogado relatou que o autor trabalha com cobranças de crediário e anda com a arma branca para se proteger e também a esposa.

O delegado Bruno Urban, da 7ª Delegacia de Polícia Civil, esclareceu que testemunhas do caso já foram ouvidas e o autor foi identificado no mesmo dia. A polícia aguardou que ele se apresentasse, mas como até a última sexta-feira (21) ele ainda não tinha procurado a delegacia, foi feito pedido de prisão preventiva.

Delegado Bruno Urban

No entanto, o acusado não tem outras passagens e alega que só não se apresentou antes porque estava procurando advogado. Também segundo Urban, a confusão teria ocorrido por causa de uma conta de luz de R$ 1.200, que estava em nome do autor. Ele vivia na casa que agora era ocupada por Bruno, pela esposa e uma terceira pessoa.

Assim, quando deixou o local, a conta continuou no nome dele e não foi paga. Devendo, ele teria tentado acertar como seria feito o pagamento, já que está construindo outra casa e queria fazer a ligação da luz em seu nome. Um dos moradores teria inclusive feito um empréstimo no banco para poder pagar a dívida.

Durante a cobrança, a briga entre autor, vítima e testemunhas acabou com o esfaqueamento. O delegado esclareceu que a faca foi apresentada e será examinada, para identificar se o DNA de sangue presente na arma é compatível com o da vítima. O caso segue em investigação e a prisão do autor será definida em audiência. O advogado já afirmou que pedirá revogação da prisão ou medida cautelar.

Jornal Midiamax