Polícia

Acusado de matar cliente de bar que comia espetinho é condenado a 16 anos de prisão

Foi a júri popular nesta sexta-feira (19) Vagner Barbosa da Silva, 41 anos, pelo homicídio de Alziro Rodrigues Garcia Weis, de 30 anos. O crime aconteceu em setembro de 2019, no Jardim Talismã, enquanto a vítima comia espetinho em um bar. Além do homicídio, Vagner também foi julgado e condenado por lesão corporal. Foram fixadas […]

Renata Portela Publicado em 19/03/2021, às 18h04 - Atualizado às 18h05

Local onde a vítima foi assassinada (Reprodução, Google)
Local onde a vítima foi assassinada (Reprodução, Google) - Local onde a vítima foi assassinada (Reprodução, Google)

Foi a júri popular nesta sexta-feira (19) Vagner Barbosa da Silva, 41 anos, pelo homicídio de Alziro Rodrigues Garcia Weis, de 30 anos. O crime aconteceu em setembro de 2019, no Jardim Talismã, enquanto a vítima comia espetinho em um bar.

Além do homicídio, Vagner também foi julgado e condenado por lesão corporal. Foram fixadas penas de 16 anos e 6 meses pelo homicídio, além de 8 meses de detenção pela lesão. O regime da pena é fechado e o réu deverá permanecer preso até que eventualmente consiga progressão da pena.

Relembre o caso

Vagner foi ao bar no dia 7 de setembro de 2019 acompanhado de outro homem, atrás do sobrinho dele que teria agredido a esposa (ex-mulher desse amigo de Vagner). Armados, eles chegaram ao local por volta das 22 horas em um Fiat Uno, sendo que Vagner desceu e chamou pelo jovem.

Dois disparos foram feitos em sua direção, mas a arma falhou, momento em que o rapaz fugiu pulando muros. Mais tiros foram disparados e um deles atingiu a cabeça de Alziro, que teve perda de massa encefálica, sendo socorrido e levado para a Santa Casa. Ele acabou morrendo durante a madrugada.

A polícia foi chamada e durante rondas conseguiu encontrar a dupla que acabou presa. Em depoimento, eles disseram que atiraram contra Alziro por que ele era amigo do rapaz que queriam matar.

Jornal Midiamax