Polícia

Acusado de assassinato na fronteira de MS é indiciado por duplo feminicídio

Inquérito foi concluído pelo delegado Patrick Linares da Costa nesta quarta-feira

Marcos Morandi Publicado em 17/06/2021, às 11h35

Acusado pode pegar até 60 anos de cadeia, por prática de crimes qualificados
Acusado pode pegar até 60 anos de cadeia, por prática de crimes qualificados - Reprodução/Facebook

Jorcy Marques Ortiz,  de 52 anos, acusado pelo assassinato de Rosenilda Rodrigues Maciel de 54 anos e a filha dela, Andréia Rodrigues Maciel de 24 anos, foi indiciado nesta quarta-feira pelo delegado Patrick Linares da Costa, responsável pelo caso. O crime aconteceu em Antônio João, cidade distante 398 quilômetros de Campo Grande, no dia 04 de junho.

“Tínhamos o prazo de 10 dias, a partir da prisão a partir da prisão para encerrar o procedimento”, disse o delegado, que já havia consegui a prisão preventiva do acusado e, com base em provas de que ele se relacionava com as vítimas.

Caso seja condenado pelo duplo feminicídio praticado contra Rosenilda e a filha dela, Andréia, poderá pegar até 60 anos, por ser considerados crimes qualificados. Além disso, o acusado está sendo investigado por crime de uso de selo da Polícia Federal no veículo utilizado durante a execução das duas vítimas.

Nos autos do processo o delegado Linares considerou que o suspeito, após o crime, teria fugido para evitar sua prisão em flagrante, só se apresentando dias depois, imaginando que por ter passado o período de flagrante, responderia ao crime em liberdade.

Além do duplo homicídio, Jorcy, que está preso em Ponta Porã, é acusado de render um motorista de um ônibus escolar que transportava 15 alunos de 6 a 15 anos de idade. O caso foi registrado em 26 de agosto de 2008.

Na época ele parou o veículo e com uma arma apontada para o motorista, exigiu que a vítima lhe entregasse a CNH (Carteira Nacional de Habilitação), alegando que o condutor estaria embriagado.

Em outro boletim registrado em Bela Vista no dia 11 de novembro de 2009 Jorci também é apontado como suspeito pela morte de dois irmãos. Entretanto, no boletim não registro dos nomes das vítimas.

Jornal Midiamax