Polícia

Vizinhos de 7ª vítima também conheciam o serial killer e relatam perplexidade com proximidade aos crimes

A localização do corpo de Timotio Pontes Roman, de 62 anos, na manhã deste sábado (16), deixou moradores da Rua Urano, no bairro Vila Planalto, perplexos. Isso porque Timotio foi confirmado como a sétima vítima do serial killer Cleber de Souza Carvalho, que também era bastante conhecido na região e tinha até apelido: Filé. No […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 16/05/2020, às 12h17 - Atualizado em 17/05/2020, às 12h12

Corpo da 7ª vítima foi localizado em poço nos fundos de imóvel no Jardim Planalto | Foto: Renan Nucci | Midiamax
Corpo da 7ª vítima foi localizado em poço nos fundos de imóvel no Jardim Planalto | Foto: Renan Nucci | Midiamax - Corpo da 7ª vítima foi localizado em poço nos fundos de imóvel no Jardim Planalto | Foto: Renan Nucci | Midiamax

A localização do corpo de Timotio Pontes Roman, de 62 anos, na manhã deste sábado (16), deixou moradores da Rua Urano, no bairro Vila Planalto, perplexos. Isso porque Timotio foi confirmado como a sétima vítima do serial killer Cleber de Souza Carvalho, que também era bastante conhecido na região e tinha até apelido: Filé.

No local, as polícias Civil e Militar isolaram a quadra da casa onde o corpo foi localizado num poço com cerca de 10 metros de profundidade, após familiares relatarem à polícia mau cheiro vindo do imóvel. Perícia e Corpo de Bombeiros também estão presentes para o resgate do corpo. Cleber também foi levado ao local.

O corpo foi encontrado após familiares estranharem o sumiço de Timotio, há cerca de dez dias. Porém, como o aposentado gostava de viajar e sempre que saia deixava a casa trancada no cadeado, entendiam que ou Timotio estava na rua ou que teria viajado. Porém, a falta de respostas por ligações e mensagens motivaram familiares a registrar neste sábado (16) um boletim de ocorrência.

Antes do registro ser feito, porém, um primo da vítima decidiu pular o muro da casa e sentiu mau cheiro vindo do poço. Diante disso, a polícia foi acionada e o corpo localizado.

No local acompanhando o resgate, Cleber teria dito à PM que matou Timotio “por vontade” enquanto executava um serviço na calçada, diferente dos demais casos, onde a cobiça por bens foi relatada como motivação. Porém, de acordo com a vizinhança, Timotio teria recebido um acerto de uma rede de supermercados na qual trabalhava e creem que isso pode ter sido o fermento para o homicídio.

Os vizinhos se aglomeram logo após a faixa de isolamento. Segundo os relatos obtidos pelo Jornal Midiamax, Timotio era um senhor amistoso e querido, que gozava da aposentadoria e gostava de viajar. Eles também estranharam o sumiço da vítima, que costumava frequentar a unidade de saúde do bairro diariamente para aferição da pressão. Os relatos também confirmam que Cleber foi visto na casa de Timotio recentemente, onde executaria uma obra na calçada. A sensação descrita é de perplexidade ao entenderem que um crime brutal ocorreu bem próximo deles.

Um dos vizinhos, que é proprietário de um bar na Vila Planalto, também destacou que “Filé”, como Cleber também era conhecido, era frequentador do estabelecimento e, apesar de aparência estranha, era bom pagador e bastante articulado. Outra vizinha conta que o serial killer aparentava normalidade, não teria desvios de comportamento e conversava normalmente com a vizinhança. “Jamais diria. Ninguém imaginava que ele fosse capaz disso”, relatou ao Jornal Midiamax.

A família de Timotio não soube dizer se a vítima teria recebido acerto recentemente, mas informou que sabia da intenção de Timotio fazer reparos no imóvel, o que reforça que Cleber pode, sim, ter sido contratado como pedreiro. Neste momento, o Corpo de Bombeiros monta um tripé em cima do poço para poder fazer o resgate do corpo.

Jornal Midiamax