Polícia

Vítima de feminicídio foi casada por 18 anos e se separou do ex por causa das agressões

Fabiana Lopes dos Santos, de 37 anos, vítima de feminicídio na noite de sexta-feira (4) terminou relacionamento com o ex-marido e principal suspeito do crime após ser agredida. Ela foi casada por 18 anos com Wantuir Sonchini da Silva, e terminou o relacionamento em 7 de dezembro de 2018, mesmo dia em que foi agredida […]

Renata Portela Publicado em 05/12/2020, às 14h10

Local onde a mulher foi assassinada a facadas (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)
Local onde a mulher foi assassinada a facadas (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax) - Local onde a mulher foi assassinada a facadas (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

Fabiana Lopes dos Santos, de 37 anos, vítima de feminicídio na noite de sexta-feira (4) terminou relacionamento com o ex-marido e principal suspeito do crime após ser agredida. Ela foi casada por 18 anos com Wantuir Sonchini da Silva, e terminou o relacionamento em 7 de dezembro de 2018, mesmo dia em que foi agredida por ele.

Grávida de 5 meses e com uma filha, Fabiana foi agredida naquele dia 7 de dezembro e ameaçada pelo então marido. Após 18 anos de casamento, ela decidiu terminar e procurou a polícia, registrando boletim de ocorrência e solicitando medida protetiva contra o agressor.

Naquele dia ele ainda teria ateado fogo nos móveis da residência. Com medo, Fabiana se escondeu na casa de familiares, após ter sido ameaçada. Em mensagens, Wantuir dizia que a vítima iria chorar e se arrepender, porque a situação pioraria. Em depoimento, a vítima chegou a dizer que ele era usuários de drogas.

Feminicídio no Natal de 2018

Naquele dia 24 de dezembro a filha de Wantuir teria pedido para falar com o pai e a mãe emprestou o celular para ela mandar WhatsApp. Após a conversa, Wantuir foi até a casa da ex-sogra Alzai Bernardo Lopes, 58 anos, porque achou que a filha dele estaria lá. Segundo ele, ele invadiu a residência pulando o muro porque sabia que a mulher não o deixaria entrar na casa.

Vítima de feminicídio foi casada por 18 anos e se separou do ex por causa das agressões
(Arquivo, Midiamax)

Já na residência, Wantuir e Alzai teriam discutido. Ao júri, ele falou que a mulher disse para ele que ele não veria a filha nunca mais, quando ele a agrediu. Ele ainda alegou que não sabia que tinha matado a ex-sogra e que fugiu da casa após asfixiar a vítima e achar que ela tinha desmaiado.

No entanto, na época a polícia trabalhava com a possibilidade de o crime ter sido premeditado. Isso, por conta das ameaças já feitas pelo agressor. Pela ameaça qualificada por violência doméstica, Wantuir cumpriu pena de dois meses e 20 dias. Ele passou por julgamento por conta do feminicídio, mas foi absolvido, considerado inimputávelpor alegar problemas mentais.

Morte de Fabiana

O crime aconteceu na Rua Evelina Selingardi, no Parque do Lageado. Moradores da região alegaram que viram a vítima e o suspeito passarem em uma motocicleta, em direção à Gameleira. Momentos depois, ouviram os gritos e descobriram o crime.

Segundo a delegada Bárbara Carmargo, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Fabiana foi encontrada morta com aproximadamente 19 facadas na região do ombro, tórax e braço. Testemunhas que estavam no local chegaram a ver a mulher discutindo com um homem momentos antes.

O principal suspeito de cometer o crime é Wantuir, que não foi localizado até o momento. Segundo a polícia, ele está em liberdade deste setembro e se reaproximou da ex-mulher por causa dos filhos. Mesmo com todo histórico de violência, em novembro ele voltou a ameaçar Fabiana, por ela não querer reatar o relacionamento.

A vítima solicitou nova medida protetiva e registrou boletim de ocorrência contra ele.

Jornal Midiamax