Polícia

VÍDEO: Família divulga homenagem a Fabiana, 11ª vítima de feminicídio em Campo Grande

O sorriso era uma das marcas registradas de Fabiana. Alegre, querida e cheia de sonhos, que foram interrompidos na noite do último dia 4 de dezembro, quando foi assassinada com 19 facadas pelo ex-companheiro. Fabiana Lopes dos Santos, de 37 anos, é a 11ª vítima de feminicídio em Campo Grande, Capital de Mato Grosso do […]

Dayene Paz Publicado em 11/12/2020, às 11h30

Fabiana foi assassinada no dia 4 de dezembro. Imagem: Divulgação / Facebook
Fabiana foi assassinada no dia 4 de dezembro. Imagem: Divulgação / Facebook - Fabiana foi assassinada no dia 4 de dezembro. Imagem: Divulgação / Facebook

O sorriso era uma das marcas registradas de Fabiana. Alegre, querida e cheia de sonhos, que foram interrompidos na noite do último dia 4 de dezembro, quando foi assassinada com 19 facadas pelo ex-companheiro. Fabiana Lopes dos Santos, de 37 anos, é a 11ª vítima de feminicídio em Campo Grande, Capital de Mato Grosso do Sul que tem registrados dados alarmantes de violência doméstica.

De acordo com a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), de janeiro a novembro deste ano, foram 11 casos de feminicídio em Campo Grande e 31 em Mato Grosso do Sul. Os números são o dobro se comparado a 2019, quando foram registrados cinco feminicídios na Capital e 24 em todo o Estado, de janeiro a outubro.

“Diminuiu o número de boletins de ocorrência, mas os crimes passaram a ser mais graves”, destacou a delegada Anne Karine Trevisan. O aumento pode estar ligado as relações entre os casais durante a pandemia ou até ao aumento do consumo de álcool. “Não que seja uma desculpa, mas o álcool acaba influenciando”, destacou a delegada.

Somente em novembro deste ano, de acordo com a Deam, 1025 pessoas foram atendidas na Casa da Mulher Brasileira, 678 boletins de ocorrência foram registrados e 30 homens presos em flagrantes por crimes de violência doméstica.

A morte de Fabiana foi o último feminicídio registrado no Estado. Wantuir Sonchini da Silva, de 43 anos, e Fabiana foram casados por 18 anos, tinham dois filhos e se separaram porque a vítima relatou ter sido agredida por ele, quando estava grávida de 5 meses. Na época, após a separação, Wantuir assassinou a mãe de Fabiana, Alzai Bernardo Lopes, 58 anos, no Natal de 2018. Ele chegou a ser julgado pelo crime e foi absolvido sob alegação de ter problemas mentais.

Wantuir teria sinalizado que se entregaria à polícia em Ribas do Rio Pardo. Mesmo assim, equipe da Deam foi até o município, que fica a 95 quilômetros de Campo Grande, mas ele não foi encontrado. Logo após, Wantuir foi encontrado morto nas margens da BR-262, naquele município, no dia 8 de dezembro, quatro dias depois de matar Fabiana.

Familiares fizeram um vídeo e autorizaram divulgação, onde fazem uma homenagem a Fabiana. A mulher, de sorriso gigante, deixou dois filhos e saudades nos corações de amigos e familiares.

Jornal Midiamax