Polícia

Três são presos com armas em denúncia de desmatamento

A Polícia Militar Ambiental de Cassilândia prendeu três pessoas com cinco armas em uma denúncia de desmatamento em Água Clara, cidade a 190 quilômetros de Campo Grande. A polícia informa que foi acionada diante de denúncias de um fazendeiro sobre um desmatamento que estariam fazendo em sua propriedade, localizada no município de Água Clara, nas […]

Diego Alves Publicado em 14/05/2020, às 19h27

Divulgação, PMA
Divulgação, PMA - Divulgação, PMA

A Polícia Militar Ambiental de Cassilândia prendeu três pessoas com cinco armas em uma denúncia de desmatamento em Água Clara, cidade a 190 quilômetros de Campo Grande. A polícia informa que foi acionada diante de denúncias de um fazendeiro sobre um desmatamento que estariam fazendo em sua propriedade, localizada no município de Água Clara, nas proximidades da divisa com o município de Paraíso das Águas,

Policiais militares ambientais de Cassilândia prenderam e acabaram de participar hoje (14) há pouco às 8h30, da conclusão de uma autuação em flagrante delito de três infratores por posse ilegal de arsenal, em um desmatamento ilegal, que ocorria em meio a uma possível ação de grilagem de terras.

A ocorrência iniciou-se ontem (13) à tarde, quando a equipe chegou ao local e verificou o uso de uma máquina de esteira no desmatamento denunciado. Em um barraco estavam três homens e um deles, proprietário da máquina, afirmou ter sido contratado para o desmatamento, por um homem, residente na cidade de Inocência, que representaria outro chamado Celso, que seria o proprietário da fazenda. De fato, a propriedade pertence a outra pessoa, residente no estado de São Paulo, que foi representada por seu advogado, quando fez a denúncia do crime ambiental. O advogado afirmou que os homens tentam realizar plantio, para depois requererem a posse.

Em volta do barraco, os Policiais encontraram dois revólveres calibre 38 municiados, que foram escondidos pelos homens embaixo de galhadas. Em seguida, um rifle calibre 44 (uso restrito) municiado foi encontrado embaixo de uma blusa em uma vegetação próxima à parede externa do barraco. Em colchões no interior do barraco foram encontrados dois sacos plásticos contendo munições calibre 38, calibre 44 e calibre 12.

Ao encontrar as munições calibre 12, a equipe passou a procurar a espingarda do mesmo calibre, que foi encontrada escondida embaixo de um sofá-cama. Ainda um revólver calibre 32 desmuniciado foi encontrado nos pertences de um dos homens. Ele assumiu a posse do revólver e os três informaram que as demais armas e munições pertenceriam à pessoa que se apresentara a eles como proprietária da fazenda. A máquina de esteira, as cinco armas e 25 munições calibre 38, 26 munições calibre 44 e nove munições calibre 12 foram apreendidas.

Os infratores, dois paulistas, de 23 e 55 anos, residentes em Andradina (SP) e o empreiteiro (50), residente no centro da cidade de Paraíso das Águas, receberam voz de prisão e foram encaminhados, juntamente com o material apreendido, à delegacia de Polícia Civil de Água Clara, onde eles foram autuados em flagrante, por crime de posse ilegal de arma. A pena para este crime é de um a três anos de detenção.

A PMA conseguiu os dados do homem que contratou os autuados, afirmando ser proprietário da fazenda, e o autuará administrativamente em R$ 10 mil pelo desmatamento ilegal, tendo em vista que a área desmatada foi medida com uso de GPS e perfez 10 hectares.

Jornal Midiamax