Polícia

Taxista é feito refém por 10h, colocado em porta-malas e largado em rodovia

Taxista de 50 anos foi feito refém por bandidos ao aceitar uma suposta corrida, na manhã de sábado (5), em Dourados, distante 230 quilômetros da Capital. Ele registrou boletim de ocorrência apenas neste domingo (6). Se passando por cliente, um dos bandidos solicitou corrida até o trevo da BR-463, acesso a cidade de Laguna Caarapã. […]

Danielle Errobidarte Publicado em 06/12/2020, às 11h19 - Atualizado em 07/12/2020, às 08h20

Ele aceitou corrida e suspeito afirmou que passaria na casa da esposa. (Foto ilustrativa)
Ele aceitou corrida e suspeito afirmou que passaria na casa da esposa. (Foto ilustrativa) - Ele aceitou corrida e suspeito afirmou que passaria na casa da esposa. (Foto ilustrativa)

Taxista de 50 anos foi feito refém por bandidos ao aceitar uma suposta corrida, na manhã de sábado (5), em Dourados, distante 230 quilômetros da Capital. Ele registrou boletim de ocorrência apenas neste domingo (6). Se passando por cliente, um dos bandidos solicitou corrida até o trevo da BR-463, acesso a cidade de Laguna Caarapã. Ao passar para buscar outro passageiro no caminho, os bandidos anunciaram o assalto e o colocaram no porta-malas do carro, onde permaneceu até por volta das 17h.

Segundo informações do registro policial, o taxista chegou a recusar, a princípio, a corrida, mas aceitou horas depois. O suposto passageiro disse que precisaria pegar sua esposa, e então, ambos de dirigiram ao local indicado por ele. Ao chegar, outro homem ordenou que o taxista descesse do carro e anunciou o assalto, o ameaçando com uma pistola.

Os autores colocaram o taxista no porta malas e um deles o acompanhou durante todo o trajeto. A vítima não soube informar aos policiais o caminho que percorreram, mas localizou um dos bairros no rastreador do aparelho celular.

Ao pararem em um posto de combustível abandonado, os assaltantes ordenaram que o taxista entrasse em outro veículo e ele foi deixado, cerca de 10 horas depois, em uma mata na BR-463. No local, outros dois homens obrigaram a vítima a tomar dois litros de cachaça e o abandonaram. O taxista foi socorrido por uma equipe da PRF (Polícia Rodoviária Federal), que o encaminhou até uma unidade de saúde e, posteriormente, familiares o levaram de volta para sua residência.

O caso foi registrado como roubo majorado pela restrição de liberdade da vítima na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Dourados.

Jornal Midiamax