Polícia

Suspeito de matar policiais em Campo Grande continua foragido

Preso envolvido na morte dos policiais civis Antônio Marcos Roque da Silva, de 39 anos e Jorge Silva dos Santos, 50, foi identificado como Willian Duarte Cormelato. Já o outro, que teria feito o disparo contra os investigadores e que está foragido chama-se Oseias, de acordo com a polícia. Em entrevista logo após o crime, […]

Diego Alves Publicado em 09/06/2020, às 22h42 - Atualizado em 10/06/2020, às 00h35

Local onde aconteceu o crime (Foto: Dayene Paz)
Local onde aconteceu o crime (Foto: Dayene Paz) - Local onde aconteceu o crime (Foto: Dayene Paz)

Preso envolvido na morte dos policiais civis Antônio Marcos Roque da Silva, de 39 anos e Jorge Silva dos Santos, 50, foi identificado como Willian Duarte Cormelato.Já o outro, que teria feito o disparo contra os investigadores e que está foragido chama-se Oseias, de acordo com a polícia.

Em entrevista logo após o crime, delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas falou que os policiais estavam investigando crimes de roubos e furtos de celulares e, durante o transporte dos suspeitos, foram baleados na cabeça e na nuca. Antônio Marcos Roque da Silva e Jorge Silva dos Santos, ambos da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), morreram no local.

O delegado-geral disse que a viatura descaracterizada não foi interceptada, como sugerido inicialmente por testemunhas, motivo pelo qual a hipótese de resgate foi descartada. Neste sentido, outras informações apontam que um dos conduzidos não estava algemado e estaria armado, sendo o responsável pelos disparos. “Talvez por isso [os policiais] não fizeram uma busca pessoal desses conduzidos”, disse Vargas, afirmando que as armas dos policiais estavam intactas.

Após o crime, Willian foi preso no Bairro Guanandi e Oseias abordou condutora de um Honda HR-V e a manteve refém até na Avenida das Bandeiras, região da NhaNhá. Lá, ele entrou em um táxi, na qual o taxista foi abordado na Avenida dos Cafezais, porém ele já havia fugido.

Jornal Midiamax