Polícia

Samba, cachorro mascote de ‘república’ é encontrado a 8 km de casa

Samba, cachorro de apenas 9 meses que havia sumido no Jardim Universitário após casa ser roubada, foi recuperado ainda na noite desta quinta-feira (10). Por volta das 21h, Alexandre Panziera, dono do cão, recebeu uma ligação em que uma mulher avisava que estava com Samba, no Jardim Centenário, distante 8 quilômetros de casa. Alexandre ainda […]

Danielle Errobidarte Publicado em 11/12/2020, às 14h57

Vizinhos do bairro já haviam dito que Samba poderia estar longe Foto: Leitor Midiamax
Vizinhos do bairro já haviam dito que Samba poderia estar longe Foto: Leitor Midiamax - Vizinhos do bairro já haviam dito que Samba poderia estar longe Foto: Leitor Midiamax

Samba, cachorro de apenas 9 meses que havia sumido no Jardim Universitário após casa ser roubada, foi recuperado ainda na noite desta quinta-feira (10). Por volta das 21h, Alexandre Panziera, dono do cão, recebeu uma ligação em que uma mulher avisava que estava com Samba, no Jardim Centenário, distante 8 quilômetros de casa.

Alexandre ainda contou que Samba não estava com ferimentos, mas acredita que tenham levado ele até o outro bairro. “É muito longe de casa, não acredito que ele tenha conseguido ir sozinho”, disse. Ele ainda explicou que a pessoa que encontrou o cachorro pretendia adotá-lo, mas foi alertada por uma amiga de que tinha dono, depois de ver as postagens nas redes sociais e matéria publicada no Jornal Midiamax.

Samba foi roubado

Casa onde os três amigos moram, donos de Samba, no Jardim Universitário foi arrombada no final da tarde de quarta-feira (9). Além do mascote, os bandidos levaram aparelho de som, televisão e equipamento de narguilé.

Na tarde de quarta, ao saírem para trabalhar, foram avisados de que a casa havia sido invadida. A porta do fundo costuma ficar aberta para que o cachorro possa circular pela casa. “Um dos meninos que mora comigo e costuma ficar em casa a tarde foi ao shopping por volta das 15h e me ligou falando que tinham roubado a casa e levado o Samba”. Segundo ele, uma vizinha chegou a comentar que as casas são roubadas com frequência no bairro. “Tem só três meses que mudamos”, afirma.

A partir daí a saga começou. Os amigos postaram nos grupos de moradores do bairro, e ninguém sabia do paradeiro de Samba. “Acho que quem roubou não é do bairro, porque os vizinhos não viram por aqui”, relata.

Ainda pela manhã, ele recebeu uma ligação na qual a pessoa dizia estar com o cachorro e pedia R$ 400. “Falei que ia pagar R$ 200 e cheguei a transferir o valor, dizendo que pagaria o resto quando estivesse no meu portão. O rapaz começou a me acelerar para transferir os outros R$ 200 e, quando fui para frente de casa, percebi que era mentira”.

Jornal Midiamax