Polícia

Salva de tiros da PM marca homenagens a policiais mortos em Campo Grande

Salva de tiros realizada pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar marcou as últimas homenagens prestadas nesta quarta-feira (10), durante o sepultamento do policial civil Jorge Silva dos Santos, que juntamente com o colega Antônio Marcos Roque da Silva, foram assassinados por um criminoso na tarde de ontem, no Itanhangá Park, em Campo Grande. Ambos […]

Renan Nucci Publicado em 10/06/2020, às 15h04 - Atualizado em 26/07/2020, às 15h16

Sepultamento de Policial Civil, Investigador Jorge Silva dos Santos, tem homenagem do Batalhão de Choque. (Foto Reprodução)
Sepultamento de Policial Civil, Investigador Jorge Silva dos Santos, tem homenagem do Batalhão de Choque. (Foto Reprodução) - Sepultamento de Policial Civil, Investigador Jorge Silva dos Santos, tem homenagem do Batalhão de Choque. (Foto Reprodução)

Salva de tiros realizada pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar marcou as últimas homenagens prestadas nesta quarta-feira (10), durante o sepultamento do policial civil Jorge Silva dos Santos, que juntamente com o colega Antônio Marcos Roque da Silva, foram assassinados por um criminoso na tarde de ontem, no Itanhangá Park, em Campo Grande. Ambos eram da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos) e Jorge foi velado e sepultado em Coxim.

O corpo de Jorge foi velado Capela da Pax Nippon, na Rua 13 de Maio, e de lá seguiu até o cemitério Jardim da Paz, sob escolta da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e Batalhão de Trânsito da Polícia Militar. Familiares, amigos e colegas policiais acompanharam o cortejo com muitos aplausos em demonstração de respeito. Nas últimas horas, várias forças de segurança prestaram homenagens aos policiais.

No centro da Capital, a tropa do 1º Batalhão da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul prestou continência na rua, com as viaturas e sirenes ligadas. No interior também houve outros atos, como em Dourados, onde os policiais civis se reuniram em frente à sede da 1ª Delegacia de Polícia da cidade.

“Esse é um momento muito triste para a segurança pública de MS. São duas perdas irreparáveis no nosso efetivo. Serve também como alerta para que a gente possa redobrar os cuidados durante as nossas ações”, disse o delegado Lupércio Degerone, delegado regional em Dourados.

Outras forças de segurança também gravaram vídeo em homenagem aos policiais.

Entenda o caso

Os policiais da Derf investigavam um furto de joias em uma residência na Euclides da Cunha, conforme as informações apuradas pelo Midiamax. Com isso, chegaram até Willian Duarte Cormelato, que foi preso mediante mandado de prisão. Já Ozéias Silveira de Morais, que trabalhava como vigilante, foi levado como testemunha para prestar depoimento.

Por conta da Lei de Abuso de Autoridade, Ozéias não foi algemado, conforme informado pelo delegado-geral Marcelo Vargas. Ele se aproveitou da situação, sacou a arma de fogo que portava e atirou friamente contra os policiais, que morreram em seguida. Ozéias e Willian ainda fugiram correndo.

Na fuga, Ozéias ainda teria roubado um carro e feito a motorista refém. Willian foi encontrado e preso, mas o vigilante seguiu com a fuga e permaneceu foragido até a madrugada de quarta-feira (10), quando foi localizado por equipes policiais. Agentes da Derf encontraram os suspeito em uma casa no Jardim Santa Emília.

Jornal Midiamax