Polícia

Profissional da saúde acusado de dopar e estuprar enteada é preso após raptar a filha

Profissional da área da saúde foi preso em flagrante após raptar a própria filha, na última segunda-feira (24). O homem – que não terá a identificação divulgada -, já era investigado por dopar e estuprar a enteada, de nove anos. Ele chegou a ser preso, em janeiro deste ano, mas foi liberado com uso de […]

Dayene Paz Publicado em 28/08/2020, às 09h47 - Atualizado às 14h14

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Imagem ilustrativa

Profissional da área da saúde foi preso em flagrante após raptar a própria filha, na última segunda-feira (24). O homem – que não terá a identificação divulgada -, já era investigado por dopar e estuprar a enteada, de nove anos. Ele chegou a ser preso, em janeiro deste ano, mas foi liberado com uso de tornozeleira, em março.

Os crimes ocorreram em Ivinhema, a 291 quilômetros de Campo Grande. Na cidade, ele morava com a esposa e duas crianças, sendo a filha de quatro anos de idade, e a enteada, de nove. No entanto, o casal se separou e o relacionamento com a filha passou a ser por modo de visitas programadas.

De acordo com as informações divulgadas pelo Ivinotícias, durante as visitas, a enteada ia junto e as crianças acabavam, por vezes, dormindo na casa do homem, ocasiões em que ocorriam os abusos, inclusive, com uso de sedativos. Após a descoberta do estupro, o homem foi preso preventivamente no dia 23 de janeiro deste ano e no dia 26 de março, foi solto, com uso de tornozeleira eletrônica.

Neste período, foram suspensas as visitas para as crianças, já que o homem ainda era investigado. A guarda das crianças foi concedida judicialmente à avó materna, já que a mãe também seria usuária de drogas.

Raptou a própria filha

Após a soltura do acusado, o casal reatou o relacionamento e, no último dia 24, a mãe das crianças foi até a casa da avó, e raptou uma das meninas, a filha do investigado, de quatro anos. Após pegar a criança, ela entrou em um veículo e fugiu. A avó não conseguiu evitar e acionou as autoridades em seguida.

A Polícia Civil obteve a informação de que a mulher e o companheiro estavam juntos e pretendiam levar a criança para outro Estado. Durante diligências, foi descoberto que o casal estava em Deodápolis e, nesta cidade, os policiais localizaram o homem. Inicialmente ele negou qualquer envolvimento com o rapto, afirmando que há muito tempo não via a mãe da criança.

Ao saber que seria preso, tentou resistir e ainda agrediu um policial, mas foi contido e levado para a delegacia. Depois da prisão, a mãe das crianças ficou sem ter condições de continuar com o plano de fuga e deixou a filha na residência da avó. Ela fugiu e ainda não foi localizada.

O homem, que já responde judicialmente pelo crime de estupro de vulnerável, responderá também pelos crimes de resistência e subtração de criança ou adolescente. A prisão em flagrante do investigado foi convertida em preventiva pelo Juízo da 1ª Vara Cível e Criminal de Ivinhema.

Jornal Midiamax