Polícia

Preso após matar dois por atear fogo em entulho é condenado a 35 anos de prisão

Decisão da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande condenou Ângelo Demisque Siqueira foi condenado a 35 anos de prisão, nesta sexta-feira (16). Ele responde pelas mortes de Carlos Mendes Figueiredo e Bruno Pierre Figueiredo, pai e filho, assassinados em 2019 após briga por entulhos em terreno baldio. Ângelo Demisque foi condenado por […]

Danielle Errobidarte Publicado em 16/10/2020, às 16h25 - Atualizado às 16h26

Motivo do assassinato foi entulho em terreno. (Foto: Arquivo Midiamax)
Motivo do assassinato foi entulho em terreno. (Foto: Arquivo Midiamax) - Motivo do assassinato foi entulho em terreno. (Foto: Arquivo Midiamax)

Decisão da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande condenou Ângelo Demisque Siqueira foi condenado a 35 anos de prisão, nesta sexta-feira (16). Ele responde pelas mortes de Carlos Mendes Figueiredo e Bruno Pierre Figueiredo, pai e filho, assassinados em 2019 após briga por entulhos em terreno baldio.

Ângelo Demisque foi condenado por duplo homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima. Ele ainda foi absolvido pela tentativa de homicídio de uma terceira pessoa, que estava no momento do crime, e não foi atingido pois bateu na mão de Ângelo, fazendo desviar o tiro.

Ele também foi condenado por porte ilegal de um revólver calibre 38. O total da pena, pelos dois homicídios, ficou estipulada em 35 anos de prisão em regime fechado e 10 dias-multa, pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos.

O crime

O crime aconteceu em fevereiro de 2019, quando Ângelo Demisque Siqueira atirou e matou Carlos Mendes Figueiredo e Bruno Pierre Figueiredo, no bairro Rivieira Park, na Capital. Segundo o acusado, Bruno teria atirado fogo em entulho no terreno baldio ao lado da casa de Ângelo. Após o crime ele colocou uma faca na bermuda de Carlos, para tentar confundir as investigações. Ângelo não tinha autorização sob a arma utilizada no crime, um revólver calibre 38.

Jornal Midiamax