Polícia

Policial feriu esposa com tiro de raspão e ficou calado em depoimento

O cabo da Polícia Militar que matou o sogro durante uma confusão neste domingo (16), em fazenda localizada na zona rural do município de Iguatemi, a 466 quilômetros de Campo Grande, manteve-se calado durante depoimento à Polícia Civil. De acordo com o delegado Pablo Ricardo Campos dos Reis, que atendeu a ocorrência, o militar limitou-se […]

Renan Nucci Publicado em 17/02/2020, às 15h21 - Atualizado às 15h39

Caso é investigado na Delegacia de Iguatemi. Foto: Divulgação
Caso é investigado na Delegacia de Iguatemi. Foto: Divulgação - Caso é investigado na Delegacia de Iguatemi. Foto: Divulgação

O cabo da Polícia Militar que matou o sogro durante uma confusão neste domingo (16), em fazenda localizada na zona rural do município de Iguatemi, a 466 quilômetros de Campo Grande, manteve-se calado durante depoimento à Polícia Civil. De acordo com o delegado Pablo Ricardo Campos dos Reis, que atendeu a ocorrência, o militar limitou-se a dizer que não lembrava com clareza dos fatos e, por este motivo, decidiu ficar em silêncio.

Ele será submetido a audiência de custódia na tarde desta segunda-feira (17) e, caso a prisão seja mantida, o que deve acontecer, será transferido logo em seguida para o presídio militar na Capital. Segundo o delegado, a vítima, de 60 anos, foi baleada duas vezes. “Foi um tiro no peito e outro no ombro; morreu no local”, disse. A esposa do PM, de 33 anos, foi ferida na mão de raspão. “Ainda não sabemos como ela foi baleada”, explicou.

Até o momento, a mulher não foi ouvida pois, além de ser ferida, ficou em estado de choque e precisou ser encaminhada para atendimento médico em Naviraí, e deve prestar depoimento em breve. Conforme noticiado, os envolvidos estavam reunidos em uma fazenda localizada na região das Sete Placas, quando o policial se desentendeu com a esposa e a agrediu. O sogro interagiu para proteger a filha e acabou sendo atingido pelos disparos.

Jornal Midiamax