Polícia

Polícia investiga ligação de duplo homicídio na fronteira com organizações criminosas

Os investigadores da polícia paraguaia suspeitam que as duas execuções ocorrida no último domingo (8) em Pedro Juan Caballero pode ter ligação com o tráfico de drogas na região. Esteban Martínez Pérez (30) e Diego Damián Rojas Bogarín (20), estavam em um veículo Volkswagen Saveiro quando foram fuzilados na fronteira com Ponta Porã. Segundo as […]

Marcos Morandi Publicado em 10/11/2020, às 07h39 - Atualizado às 10h23

Execuções aconteceram noite de domingo. (Foto: Reprodução)
Execuções aconteceram noite de domingo. (Foto: Reprodução) - Execuções aconteceram noite de domingo. (Foto: Reprodução)

Os investigadores da polícia paraguaia suspeitam que as duas execuções ocorrida no último domingo (8) em Pedro Juan Caballero pode ter ligação com o tráfico de drogas na região. Esteban Martínez Pérez (30) e Diego Damián Rojas Bogarín (20), estavam em um veículo Volkswagen Saveiro quando foram fuzilados na fronteira com Ponta Porã.

Segundo as investigações o duplo homicídio pode ter sido motivado por divergências entre grupos que dominam o tráfico de drogas na fronteira com Mato Grosso do Sul. O ataque aos dois ocupantes da Saveiro aconteceu na Avenida Carlos Domínguez, nas proximidades do Terminal Rodoviário.

Segundo informações do Comissário Feliciano Martínez ao ABC Color, o veículo foi interceptado quatro homens que estavam distribuídos em duas motocicletas. Eles atiram contra os dois e fugiram do local.

Segundo informações da polícia paraguaia, os criminosos usaram pelo menos um rifle calibre 7,62 e uma pistola 9 milímetros, pelos quais se suspeita que estejam envolvidos em organizações criminosas que dominam a fronteira.

O comissário Martínez também indicou que se tratam de dados que mostram que uma das vítimas já teve problemas aparentemente devido a questões relacionadas ao embarque de um carregamento de maconha, mas não quis entrar em detalhes.

O delegado destacou ainda que a investigação ainda se encontra em fase inicial, de forma que arriscar uma hipótese mais forte pode comprometer a investigação. O Ministério Público do Paraguai também acompanha a investigação.

Jornal Midiamax