Polícia

Polícia aguarda alta de ferida a tiros por advogado criminalista para ouvir depoimento

A Polícia Civil espera pela alta da mulher de 36 anos que foi ferida a tiros pelo ex-marido Erick Gustavo Rocha Teran de 43 anos, que se matou com um tiro na cabeça, para ouvir o depoimento da vítima. O crime aconteceu na segunda-feira (2), no escritório de advocacia que Erick alugava. Segunda a delegada […]

Thatiana Melo Publicado em 03/11/2020, às 10h19 - Atualizado às 17h35

(Leonardo França, Midiamax)
(Leonardo França, Midiamax) - (Leonardo França, Midiamax)

A Polícia Civil espera pela alta da mulher de 36 anos que foi ferida a tiros pelo ex-marido Erick Gustavo Rocha Teran de 43 anos, que se matou com um tiro na cabeça, para ouvir o depoimento da vítima. O crime aconteceu na segunda-feira (2), no escritório de advocacia que Erick alugava.

Segunda a delegada plantonista Fernanda Iovano da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) além da vítima provavelmente um familiar do advogado deverá ser ouvido. Detalhes do caso ainda não foram repassados, já que se espera que a mulher tenha alta.

A delegada ainda explicou que a vítima poderá pedir reparação de danos pelo ocorrido, já que como o casal estava em separação ela não teria direito a herança, que deverá ser repassada aos filhos.

Polícia aguarda alta de ferida a tiros por advogado criminalista para ouvir depoimento
(Henrique Arakaki, Midiamax)

A mulher ainda está internada depois de passar por um procedimento cirúrgico por causa de um tiro que recebeu do advogado, quando os dois tratavam da separação do casal. Ela ainda foi ferida com golpes de taco de beisebol pelo advogado que se matou com um tiro na cabeça.

Informações de testemunhas são de que o casal estava em processo de separação e tem filhos juntos. Durante a manhã de segunda (2), eles teriam deixado os filhos com a avó e seguido até o escritório para acertar os termos do divórcio. O advogado aluga umas das salas do escritório há 12 anos.

Jornal Midiamax