Polícia

PMA fiscaliza rios, surpreende infrator e aprende apetrechos ilegais de pesca

A PMA (Polícia Militar Ambiental) fiscalizou três rios, surpreende um infrator pescando com tarrafa e apreendeu barco, 13 redes de pesca, 150 anzóis de galho, 11 espinhéis e tarrafa em Miranda, cidade a 208 quilômetros de Campo Grande. Uma das equipes de policiais ambientais que trabalha na operação piracema, realizou fiscalização preventiva nos rios Miranda, […]

Diego Alves Publicado em 11/12/2020, às 21h15 - Atualizado às 21h24

divulgação, PMA
divulgação, PMA - divulgação, PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) fiscalizou três rios, surpreende um infrator pescando com tarrafa e apreendeu barco, 13 redes de pesca, 150 anzóis de galho, 11 espinhéis e tarrafa em Miranda, cidade a 208 quilômetros de Campo Grande.

Uma das equipes de policiais ambientais que trabalha na operação piracema, realizou fiscalização preventiva nos rios Miranda, Chapena e Betione, desde a madrugada desta sexta-feira (11) e apreendeu um barco e diversos petrechos ilegais de pesca.

Segundo a PMA, no Rio Miranda, a equipe avistou um pescador em um barco de alumínio próximo a margem do rio, pescando com tarrafa (petrecho proibido). O infrator fugiu pela mata fechada quando avistou os Policiais e abandonou a embarcação, uma tarrafa, um puçá e dois remos utilizados na pescaria ilegal. Apesar de diligências, o pescador não foi localizado. O material foi apreendido. Felizmente o infrator iniciava a pescaria ilegal e não tinha capturado pescado ainda. A PMA tentará identificar o pescador pelas características da embarcação.

Durante o patrulhamento fluvial iniciado na região do Saltinho próximo ao Porto Novo até ponte da Rodovia do Calcário (MS 339) foram localizados e retirados dos rios os seguintes materiais: 150 anzóis de galho, 13 redes de pesca, 11 cordas de espinheis de 10 metros com sete anzóis cada uma, e um tambor de armazenar isca viva.

Uma das maiores preocupações da PMA na prevenção à pesca predatória, especialmente durante o período de piracema, é a retirada dos rios desses petrechos proibidos que são armados por infratores, principalmente as redes de pesca, que têm alto poder de captura e depredação de cardumes, mesmo existindo muita dificuldade de se prender os autores devido ao pouco tempo de exposição para armá-los e conferi-los nos rios, quando normalmente fazem isso em horário noturno.

Jornal Midiamax