Polícia

Pistoleiro avisa sobre ‘encomenda de morte’ e pede R$ 6 mil para não cometer crime

O gerente de uma fazenda da cidade de Porro Murtinho a 454 quilômetros de Campo Grande, procurou a delegacia da cidade nesta terça-feira (4) depois de receber mensagens de um pistoleiro avisando sobre uma ‘encomenda de morte’. Na delegacia, ele contou que na terça (4) por volta das 14 horas começou a receber mensagens de […]

Thatiana Melo Publicado em 05/08/2020, às 07h11 - Atualizado às 12h12

(Ilustrativa)
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)

O gerente de uma fazenda da cidade de Porro Murtinho a 454 quilômetros de Campo Grande, procurou a delegacia da cidade nesta terça-feira (4) depois de receber mensagens de um pistoleiro avisando sobre uma ‘encomenda de morte’.

Na delegacia, ele contou que na terça (4) por volta das 14 horas começou a receber mensagens de um número paraguaio, mas os áudios enviados tinham sotaque de um homem brasileiro, que teria dito que havia sido contratado pelo dono de uma fazenda para assassinar a vítima de 38 anos.

Mas, segundo as mensagens teria acontecido um desacerto comercial entre o pistoleiro e o fazendeiro e que ele já havia perdido R$ 20 mil, mas para não colocar em prática o crime e informar quem seria o mandante era para o gerente fazer um depósito, no valor de R$ 6 mil.

Depois disso, a vítima ainda recebeu uma imagem de um homem segurando uma pistola e no braço estava tatuado “Ludmila Violeta’. O gerente contou ao patrão o que havia acontecido e ele o orientou a procurar a polícia e fazer um boletim de ocorrência por extorsão.

Jornal Midiamax